Birdman e O Grande Hotel Budapeste lideram indicações ao Oscar 2015

Depois de alguns anos presos a fórmulas prontas e clichês, parece que o Oscar finalmente voltou a celebrar o cinema bem feito e original. Os 3Bs que brigam pelo prêmio este ano (Boyhood, Birdman e O Grande Hotel Budapeste) trazem de volta o frescor e originalidade que há anos não víamos na premiação. Ok, ano passado Ela, Gravidade e Trapaça trouxeram algum frescor pra festa, que nas demais indicações passava por filme bons mas nada originais. Pior ainda no que diz respeito ao vencedor, 12 Anos de Escravidão, um filme clichê baseado numa fórmula pronta. Em 2013, As Aventuras de PiIndomável Sonhadora eram os únicos indicados originais em meio a clichês.

Tratam-se de três filmes totalmente diferentes: Boyhood tem um roteiro simples e segue calmo a vida e o crescimento de um garoto por 12 anos (reais). Ele vai sem pressa, como um veleiro em mar aberto. Birdman, por sua vez, chega no limite da histeria, contando o enlouquecimento (ou não) de um homem em um filme que dá a largada e termina nos deixando de boca aberta no cinema, como uma lancha pilotada por um marinheiro louco. Já Budapeste ultrapassa o limite da loucura e nos leva pelos cabelos pra dentro de uma comédia de investigação onde cada sílaba importa mas onde o próprio protagonista parece não ter ideia de onde está indo. Como um navio de cruzeiro cheio de gente e sem comandante e perdido no oceano.

birdman
Birdman

Não que as biografias, problemas de saúde, dramas de guerra e filmes sobre preconceito racial não estejam presentes este ano. Estão todos lá. Mas com uma visão totalmente original na maioria dos casos. Como O Jogo da Imitação ou A Teoria de Tudo. Mas os grandes astros deste ano são mesmo os 3B. Três filmes extremamente originais e, cada um à sua forma, três aulas de como se fazer cinema. Apesar de O Grande Hotel Budapeste ter levado o Globo de Ouro de melhor filme em comédia ou musical, a grande briga mesmo será entre Boyhood (favorito para o prêmio maior) e Birdman. A briga entre um filme feito duas semanas de cada vez durante doze anos e um filme de duas horas que parece ter sido feito de uma vez só.

Os campeões de indicação são Birdman e O Grande Hotel Budapeste, com nove cada. As surpresas mesmo ficaram por conta da (inexplicável) indicação para Steve Carell e da terceira nominação ao então azarão Bradley Cooper, à inclusão da também não muito esperada Marion Cotillard mais um monte de esnobadas. Nesta turma que ficou de fora estão incluídos os nomes de Ralph Fiennes, Jennifer Aniston e Amy Adams (cotadas para a disputa entra as atrizes, inclusive com a segunda tendo levado o Globo de Ouro de comédia ou musical), o novo filme de Angelina Jolie como diretora (Invencível, com apenas três chances em categorias técnicas) e Garota Exemplar, o estarrecedor longa do diretor David Fincher, que só concorre em uma categoria (com Rosamund Pike, para melhor atriz). E na parte musical, estrelas pop como Lorde, Sia, Patty Smith e Lana Del Rey, que se enfrentaram no Globo de Ouro, ficaram todas de fora no quesito música-tema.
The-Grand-Budapest-Hotel-580
O Grande Hotel Budapeste

Na categoria de melhor ator, Michael Keaton (Birdman) vai bater de frente com Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo). Bennedict Cumberbatch (O Jogo da Imitação) está excelente, mas não tem muitas chances. Na parte das atrizes, a briga será entre Reeze Witherspoon (Livre) e Julianne Moore (Para Sempre Alice). Novamente, sem muitas chances para as demais concorrentes.

Assim como em 2011, como aconteceu com o documentário sobre Vik Muniz Lixo Extraordinário, novamente um documentário brasileiro está na disputa: O Sal da Terra, sobre Sebastião Salgado, dirigido por Win Wenders e por Juliano Salgado, filho do fotógrafo. E Meryl Streep concorre pela 19ª vez a uma estatueta, pelo papel da bruxa de Caminhos da Floresta.

Into The Woods
Meryl Streep em Caminhos da Floresta

Entre os diretores, não há dúvidas de que Alejandro Gonzáles Iñarritu realiza seu melhor trabalho em Birdman. E olha que estamos falando da mente que dirigiu obras primas como Amores Brutos, 21 Gramas ou Biutiful (todos com indicações ao Oscar). Linklater por sua vez demonstra habilidade e paciência sem comparação na realização de Boyhood ainda investindo nas relações pessoais e nos filmes “sem roteiro” que tanto gosta e Wes Anderson produz o que talvez seja o filme mais “fácil” de sua filmografia com Budapeste. Morten Tyldum traz alguma novidade aos dramas de guerra em O Jogo da Imitação e Bennett Miller se repete em Foxcatcher.

Veja abaixo a lista completa dos indicados:

oscar

Melhor filme
“Sniper americano”
Birdman
Boyhood: Da infância à juventude
O grande hotel Budapeste
O jogo da imitação
“Selma”
“A teoria de tudo”
“Whiplash”

Oscars-2015-Nominations-directorMelhor diretor
Alejandro Gonzáles Iñárritu (“Birdman”)
Richard Linklater (“Boyhood”)
Bennett Miller (“Foxcatcher: Uma história que chocou o mundo”)
Wes Anderson (“O grande hotel Budapeste”)
Morten Tyldum (“O jogo da imitação”)

Oscars-2015-Nominations-actorMelhor ator
Steve Carell (“Foxcatcher”)
Bradley Cooper (“Sniper americano”)
Benedict Cumbertatch (“O jogo da imitação”)
Michael Keaton (“Birdman”)
Eddie Redmayne (“A teoria de tudo”)

Melhor ator coadjuvante
Robert Duvall (“O juiz”)
Ethan Hawke (“Boyhood”)
Edward Norton (“Birdman”)
Mark Ruffalo (“Foxcatcher”)
JK Simons (“Whiplash”)

Oscars-2015-Nominations-actressMelhor atriz
Marion Cotillard (“Dois dias, uma noite”)
Felicity Jones (“A teoria de tudo”)
Julianne Moore (“Para sempre Alice”)
Rosamund Pike (“Garota exemplar“)
Reese Whiterspoon (“Livre”)

Melhor atriz coadjuvante
Patricia Arquette (“Boyhood”)
Laura Dern (“Livre”)
Keira Knightley (“O jogo da imitação”)
Emma Stone (“Birdman”)
Meryl Streep (“Caminhos da floresta”)

Melhor filme em língua estrangeira
“Ida” (Polônia)
“Leviatã” (Rússia)
“Tangerines” (Estônia)
“Timbuktu” (Mauritânia)
“Relatos selvagens” (Argentina)

Melhor documentário
“O sal da terra”
“CitizenFour”
“Finding Vivian Maier”
“Last days”
“Virunga”

Melhor documentário em curta-metragem
“Crisis Hotline: Veterans Press 1”
“Joanna”
“Our curse”
“The reaper (La Parka)”
“White earth”

oscaranimacaoMelhor animação
Operação Big Hero
Como treinar o seu dragão 2
Os Boxtrolls
“Song of the sea”
“The Tale of the Princess Kaguya”

Melhor animação em curta-metragem
“The bigger picture”
“The dam keeper”
“O Banquete”
“Me and my moulton”
“A single life”

Melhor curta-metragem em ‘live-action’
“Aya”
“Boogaloo and Graham”
“Butter lamp (La lampe au beurre de Yak)”
“Parvaneh”
“The phone call”

Melhor roteiro original
Alejandro G. Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris Jr. e Armando Bo (“Birdman”)
Richard Linklater (“Boyhood”)
E. Max Frye e Dan Futterman (“Foxcatcher”)
Wes Anderson e Hugo Guinness (“O grande hotel Budapeste”)
Dan Gilroy (“O abutre”)

Melhor roteiro adaptado
Jason Hall (“Sniper americano”)
Graham Moore (“O jogo da imitação”)
Paul Thomas Anderson (“Vício inerente”)
Anthony McCarten (“A teoria de tudo”)
Damien Chazelle (“Whiplash”)

Melhor fotografia
Emmanuel Lubezki (“Birdman”)
Robert Yeoman (“O grande hotel Budapeste”)
Lukasz Zal e Ryszard Lenczewski (“Ida”)
Dick Pope (“Sr. Turner”)
Roger Deakins (“Invencível”)

Melhor edição
Joel Cox e Gary D. Roach (“Sniper americano”)
Sandra Adair (“Boyhood”)
Barney Pilling (“O grande hotel Budapeste”)
William Goldenberg (“O jogo da imitação”)
Tom Cross (“Whiplash”)

Melhor design de produção
“O grande hotel Budapeste”
“O jogo da imitação”
Interestelar
“Caminhos da floresta”
“Sr. Turner”

Melhores efeitos visuais
Dan DeLeeuw, Russell Earl, Bryan Grill e Dan Sudick (“Capitão América 2: O soldado invernal“)
Joe Letteri, Dan Lemmon, Daniel Barrett e Erik Winquist (“Planeta dos macacos: O confronto“)
Stephane Ceretti, Nicolas Aithadi, Jonathan Fawkner e Paul Corbould (“Guardiões da Galáxia“)
Paul Franklin, Andrew Lockley, Ian Hunter e Scott Fisher (“Interestelar”)
Richard Stammers, Lou Pecora, Tim Crosbie e Cameron Waldbauer (“X-Men: Dias de um futuro esquecido“)

Melhor figurino
Milena Canonero (“O grande hotel Budapeste”)
Mark Bridges (“Vício inerente”)
Colleen Atwood (“Caminhos da floresta”)
Anna B. Sheppard e Jane Clive (“Malévola“)
Jacqueline Durran (“Sr. Turner”)

Melhor maquiagem e cabelo
Bill Corso e Dennis Liddiard (“Foxcatcher”)
Frances Hannon e Mark Coulier (“O grande hotel Budapeste”)
Elizabeth Yianni-Georgiou e David White (“Guardiões da Galáxia”)

Melhor trilha sonora
Alexandre Desplat (“O grande hotel Budapeste”)
Alexandre Desplat (“O jogo da imitação”)
Hans Zimmer (“Interestelar”)
Gary Yershon (“Sr. Turner”)
Jóhann Jóhannsson (“A teoria de tudo”)

Melhor canção
“Everything is awesome”, de Shawn Patterson (“Uma aventura Lego”)
“Glory”, de John Stephens (John Legend) e Lonnie Lynn (Common) (“Selma”)
“Grateful”, de Diane Warren (“Além das luzes”)
“I’m not gonna miss you”, de Glen Campbell e Julian Raymond (“Glen Campbell…I’ll be me”)
“Lost Stars”, de Gregg Alexander e Danielle Brisebois (“Mesmo se nada der certo”)

Melhor edição de som
Alan Robert Murray e Bub Asman (“Sniper americano”)
Martín Hernández e Aaron Glascock (“Birdman”)
Brent Burge e Jason Canovas (“O Hobbit: A batalha dos cinco exércitos“)
Richard King (“Interestelar”)
Becky Sullivan e Andrew DeCristofaro (“Invencível”)

Melhor mixagem de som
John Reitz, Gregg Rudloff e Walt Martin (“Sniper americano”)
Jon Taylor, Frank A. Montaño e Thomas Varga (“Birdman”)
Gary A. Rizzo, Gregg Landaker e Mark Weingarten (“Interestelar”)
Jon Taylor, Frank A. Montaño e David Lee (“Invencível”)
Craig Mann, Ben Wilkins e Thomas Curley (“Whiplash”)

 

Um comentário

Deixe uma resposta para Pausa Dramática participa do bate papo do Oscar 2015 na Fnac | pausa dramática Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s