Deixa eu brincar de ser feliz

Quem me conhece sabe q eu:
1-detesto carnaval
2-detesto gente bêbada
3- tenho serias ressalvas com relação ao Rio de Janeiro
Pois então. No meio de um surto psicótico vim parar justamente no Rio no carnaval. Como essa é uma das unicas épocas que podemos viajar, aproveitamos para conhecer a antiga capital federal. O dia a dia da viagem:

SEIXTAM, 04/03


chegamos no aeroporto às 6h da tarde, mas no hotel, na Barra, só às 9h. Podres e cansados, fomos até o Barra Square Garden, pertinho do hotel, para jantar e voltamos dormir.

SÁBADOAM, 05/03


O sabado amanheceu feio, com chuva. Nossa saída foi ir para o BarraShopping. Do grupo Multiplan, o Barra padece do mesmo problema do ParkShopping Barigüi em Curitiba: praça de alimentação pequena que não comporta o fluxo do shopping. Sem mais o que fazer, passeamos, compramos, comemos, compramos e voltamos para o hotel. Com muito boa vontade rumamos, guarda chuva em punho, para conhecer Leblon e Ipanema. A orla é espaçosa e deliciosa, mas não fosse a chuva teríamos gostado mais. No fim, de tanto fugir, caímos bem no meio de um bloco de rua em Ipanema. Dai descobri pq chamam de bloco… Um bloco de pessoas compactadas se movimenta na mesma direção. E nós no meio…


DOMINGOAM, 06/03


No domingo o dia estava melhor. Sem sol escaldante, mas tbem sem chuva. Encontramos o Gevs (uma das melhores companhias que uma pessoa pode querer EVER) e fomos passear em Copacabana. Milhões de turistas, em cada bolinho de pessoas uma língua diferente. Sentamos na beira da praia num barzinho, bebemos, vimos corpos sarados passando e falamos mal dos outros. Perfeito. Dali caímos em outro bloco, mais calmo. Por causa das 3 caipirinhas q bebi acabou acontecendo aquilo que está nas fotos…. Enfim. Voltamos dormir cedo.

SEGUINDAM, 07/03


O tempo ainda não estava firme, mas mesmo assim rumamos para o Jardim Botanico. Uma delicia, calmo, tranquilo e verde. Dali rumamos para o centro, e demos com a cara na porta dos museus e biblioteca nacional. Tudo fechado por causa da passagem dos blocos. O cheiro de xixi no ar era praticamente insuportavel. Almoçamos na Cinelândia e resolvemos pegar o bondinho pra Santa Teresa. Quase duas horas de espera e embarcamos num veiculo nada seguro ladeira acima. Chegando la, outro bloco de carnaval nos esperava. When you’re in Rome…. Então entramos na onda, bebemos, fomos cumprimentados pelos bêbados…. Voltamos para o hotel e a noite fomos pra boate.

Na Terça nada pra fazer, já que o check-out do hotel era ao meio dia e ficar passeando de mala não é divertido.

Considerações:
Apesar do meu mega medo, não fomos assaltados, estuprados, seqüestrados, nem (como vc pode imaginar) assassinados. A cidade me pareceu (e isso vai chocar alguns) mais segura que Curitiba. Ninguém me pediu moedinha ou cigarro na rua e a quantidade de pessoas ameaçadoras era bem menor.
Muita gente bonita de corpo na rua. Já na boate nem tanto.
Os moradores são simpáticos e solícitos, os atendentes dos lugares não.
Os motoristas de ônibus cheiram uma carreirinha antes de começar suas viagens, só pode, e vc nem pode pedir sem emoção.
No fim, curti o carnaval, dançando feito rave do lado do bloco tranquilo, e a pegação descarada na Rua Farme. Todos os corpos, todas as bundas e todas as mãos são de todos, mas ninguem é de ninguem.



Veja as fotos aqui.


PS: para proteger a integridade dos envolvidos alguns fatos foram omitidos desta descrição e não serão revelados nem sob tortura. A direção.

4 comentários em “Deixa eu brincar de ser feliz

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: