Dia do Batman: todos os filmes do homem-morcego

Uma matéria original de Flávio St Jayme

Em 2014, um dos principais personagens dos quadrinhos completa 75 anos. Para comemorar, a DC Comics instituiu ontem, dia 23 de julho, como o dia dele.O homem-morcego criado por Bob Kane em 1939 acumulou em sete décadas e meia de existência muitas histórias em quadrinhos memoráveis e várias adaptações para outras mídias.

O “maior detetive do mundo” já marcou presença em séries para TV e videogames, mas ganhou popularidade mesmo com a primeira série (aquela do SOC! POW! POFF!) e o primeiro filme. “Batman”, de 1989, traz Michael Keaton na pele do bilionário Bruce Wayne, que à noite veste a máscara e a capa de um dos mais lendários personagens já criados. Para comemorar, bora relembrar todos os longas-metragens do Cavaleiro das Trevas!

“Batman” (1989)

batman-1989-michael-keaton2
À exceção dos fãs dos quadrinhos, o Batman fixado no imaginário popular foi, durante décadas, aquele da série televisiva exibida entre 1966 e 1968: um produto francamente cômico, a começar pelos quilogramas extras que o ator Adam West era obrigado a comprimir sob a fantasia do morcego. Até que veio o filme dirigido por Tim Burton, que costuma ser definido como “sombrio”. Embora protagonizado por um ator humorista, Michael Keaton, “Batman” (1989) ficou marcado pelo tratamento sério dedicado a um personagem obscuro. Marcou também pelo Coringa interpretado por Jack Nicholson, que recusou salário e propôs participação nos lucros da obra. Opção acertada: a superprodução arrecadou US$ 411 milhões no mundo todo.

“Batman – O retorno” (1992)

batman returnDado o sucesso do capítulo anterior, Tim Burton teve tinha mais liberdade em “Batman – O retorno” (1992): o cineasta foi mais fundo no clima gótico. O enredo, por sua vez, investe em assuntos mais graves, como corrupção política e culto a celebridades grotescas. A aberração, ou vilão, da vez é o Pinguim, bem defendido por Danny DeVito. O elenco tem ainda Christopher Walken e Michelle Pfeiffer, que recebeu merecidos elogios ao viver a Mulher Gato. O personagem teve um filme solo em 2004, estrelado por Halle Berry, numa das mais constrangedoras adaptações de HQ já cometidas no cinema. Novamente com Michael Keaton encarnando o herói, “Batman – O retorno” repetiu o sucesso de seu antecessor nas bilheterias, somando US$ 267 milhões.

“Batman eternamente” (1995)

batman-forever-4fec2bc9dacccCom a saída de Burton, o estúdio Warner Bros convocou Joel Schumacher. Na prática, isso é o mesmo que dizer: saem os tons escuros e os contrastes marcantes, entram a fosforescência e os efeitos. O herói de “Batman eternamente” é vivido por Val Kilmer, àquela altura mais conhecido como o Jim Morrison de “The Doors” (1991). Com ele contracenam atores respeitáveis, como Tommy Lee Jones (Duas Caras), Jim Carrey (Charada) e Nicole Kidman. Pela primeira vez no cinema, houve ainda um Robin, papel de Chris O’Donnell. Este “renascimento” precoce da franquia foi um fracasso sob qualquer critério – tirando aquele que talvez mais interessasse, o financeiro: “Batman eternamente” fez US$ 336 milhões, dando sobrevida a Schumacher.

“Batman & Robin” (1997)

batman-robinJá virou clichê criticar “Batman & Robin”. Insuperável na posição de pior dentre todas as adaptações do guardião de Gotham City, o filme representou a Joel Schumacher uma oportunidade de redenção – mas ele terminou piorando o que já não era grandes coisas. Na forma, “Batman & Robin” lembra um parque de diversões carnavalesco em “noites do terror”. O conteúdo constrange. Chris O’Donnell faz de novo o Robin, e este não é o único aliado do morcego: existe a Batgirl (a patricinha de Bervely Hills Alicia Silverstone, em função decorativa). Do lado oposto, temos Arnold Schwarzenegger como Mr. Freeze e Uma Thurman como Poison Ivy. Uma vez mais, a franquia comprovou o apelo: US$ 238 milhões de arrecadação.

“Batman begins” (2005)

batman-beginsTido como um dos principais – e mais caros e mais rentáveis… – diretores da Hollywood atual, o britânico Christopher Nolan tinha currículo modesto ao ser convocado a tocar a terceira encarnação do Batman na tela grande. A maior credencial que ele tinha era o seu segundo longa, o interessante mas superestimado “Amnésia” (2000). Notava-se, ali, um cineasta com recursos narrativos e senso de realismo incomuns no cinema de entretenimento: possivelmente, foram esses os atributos que fizeram os produtores contratá-lo. Com elenco estelar e boa aceitação de crítica e público – US$ 373 ao todo nas bilheterias –, o filme teve poucos senões, dentre eles a (falta de) química entre o Christian Bale, o protagonista, e sua parceria na tela, Katie Holmes. A atriz foi substituída no filme seguinte.

“Batman: O cavaleiro das trevas” (2008)

the-dark-knight-batmanPensar em “Batman: O cavaleiro das trevas” é pensar, antes de tudo, no Coringa de Heath Ledger (1979-2008). Com sua versão espantosa do vilão, o australiano chegou a levar um Oscar póstumo de melhor ator coadjuvante. Mas o filme tem outros méritos. Christian Bale segue bem (a despeito da voz afetada), a exemplo de Morgan Freeman como o inventor aliado do morcego, Gary Oldman como o comissário Gordon, Michael Caine como o mordomo Alfred e Aaron Eckhart como um promotor de justiça que tem destino trágico. Todos estão a serviço do projeto de Christopher Nolan: proporcionar entretenimento com uma superprodução que busca ultrapassar os limites da fantasia dos quadrinhos e que seja um produto de seu tempo. Mesmo com a pretensão exagerada, “Batman: O cavaleiro das trevas” é o melhor “Batman”. E arrecadou US$ 1 bilhão.

“Batman: O cavaleiro das trevas ressurge” (2012)

bane_batman_dark_knight_rises-wideChristopher Nolan oferece um filme grandioso e violento neste último capítulo de sua trilogia sobre o morcego. “Batman: O cavaleiro das trevas ressurge” é um bom desfecho para esta etapa mais recente da “vida” do personagem. Com 164 minutos de duração, o filme já começa com uma sequência impressionante: o vilão Bane (Tom Hardy) promove um sequestro aéreo filmado com a habilidade que Nolan provou ter em “A origem” (2010). Recorrendo a referências como 11 de setembro, protestos em Wall Street e manifestações similares e recentes – e juntando política, ecologia, segurança pública, insurgência popular e frustração amorosa –, a superprodução adiciona ainda grandes nomes de Hollywood ao elenco, como Marion Cotillard e Joseph Gordon-Levitt. O filme acabou por ser superior a todos os seus pares, e firmou “O Cavaleiro das Trevas” como uma das melhores trilogias de todos os tempos. Ultrapassou US$ 1 bilhão de arrecadação mundial.

O que vem por aí

“Batman v Superman: Dawn of Justice” (2016)

batman-vs-superman-ben-affleck-batmobile

Em “Batman v Superman: Dawn of Justice” (ainda sem título em português definido), o homem-morcego será vivido por Ben Affleck e irá enfrentar ninguém menos que o Superman (Henry Cavill)! Com direção de Zack Snyder, além do “homem de aço”, outros heróis e vilões da DC Comics irão aparecer, como a Mulher-Maravilha e Lex Luthor no que já está sendo chamado de uma prévia do filme da Liga da Justiça. A data de estreia está marcada para 6 de maio de 2016.

Aproveita e dá uma olhada nos outros posts dedicados ao morcegão:

Batman Vs. Superman ganha título e logo oficial

#tattoofriday – 50 tatuagens do Batman

15 frases da trilogia O Cavaleiro das Trevas

As 12 faces do Homem-Morcego

 

Com informações do G1 e Itu

Um comentário em “Dia do Batman: todos os filmes do homem-morcego

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: