#listadefilmes – 12 filmes para relembrar Robin Williams

Uma matéria original de Flávio St Jayme

Em 37 anos de carreira nos acostumamos com seu jeitão esquisito e expansivo. Em mais de 100 atuações, entre TV, filmes e animações, Robin McLaurin Williams soube tocar nossos corações das mais diferentes formas.

Com ele rimos e choramos, com ele várias gerações aprenderam a apreciar o bom cinema de entretenimento. Entre robôs, crianças grandes, gênios da lâmpada e pinguins, Robie Williams nos deixou um legado incomparável. Uma cinegrafia tão vasta e variada que chega a ser inacreditável que diante de tudo isso tenha sido indicado ao Oscar somente quatro vezes, e ganhado somente uma, de melhor ator coadjuvante em Gênio Indomável.

Seus papeis foram quase sempre icônicos. Quem não se emocionou com o “Oh Captain, my Captain” em Sociedade dos Poetas Mortos? Ou não riu de gargalhar com o gênio de Aladdin? Ou não foi às lágrimas com o médico de Patch Adams? A criatividade e o talento se uniram de tal forma à um gênio incontrolável e hiperativo que renderam um fruto que vai permanecer eternamente na história do cinema. Quem acompanhou seu último trabalho na TV, a série The Crazy Ones, pôde ver bem Williams extravasar sua euforia e comicidade em cena.

O que segue abaixo é nossa singela homenagem a um ator que fez parte da infância deste que vos escreve e que até hoje reinava entre os mais amados. Fique em paz my Captain, sentiremos sua falta.

Leia mais sobre a morte do ator AQUI.

**12 filmes para relembrar Robin Williams**

Bom Dia Vietnã

Em 1987 (dez anos depois de iniciar sua carreira), o ator conseguiria seu primeiro papel de destaque no cinema. Em Bom Dia Vietnã, Williams era o DJ Adrian Cronauer, responsável por alegrar os soldados americanos durante a Guerra do Vietnã. Foi indicado ao Oscar pelo papel e venceu o Globo de Ouro.

Sociedade dos Poetas Mortos

Um dos filmes mais amados do ator (e um dos mais lembrados), é responsável por uma das cenas mais clássicas do cinema moderno, quando os estudantes sobem em suas carteiras e bradam um sonoro “Oh Captain, my Captain” de levar a audiência às lágrimas. Williams foi indicado ao Oscar e ao Globo de ouro pela interpretação do professor John Keating. O filme venceu o Oscar de melhor roteiro original.

Hook: A Volta do Capitão Gancho

Quem poderia imaginar que um dia Robin WIlliams seria Peter Pan? Pois é. No filme de 1991 o ator interpreta um Peter Pan já adulto e preocupado com as coisas da vida que se vê obrigado a voltar para a Terra do Nunca para resgatar seus filhos sequestrados pelo Capitão Gancho (Dustin Hoffman). Uma deliciosa aventura dirigida por Steven Spielberg que concorreu a 5 Oscars.

Aladdin

A animação já clássica da Disney trazia um Gênio da lâmpada tresloucado e anárquico, com um humor afiadíssimo e canções que até hoje estão grudadas em nosso subconsciente. E quem deu voz a esta criatura tão insana? Sim, Robie Williams soltou toda sua hiperatividade nas piadas, trejeitos e canções do Gênio em sua primeira investida no mundo das animações. Depois disso ainda faria vozes em Robôs e Happy Feet. Aladdin venceu o Oscar e o Globo de Ouro de melhor trilha sonora e melhor canção original e Williams levou um Globo de Ouro especial pelo seu trabalho vocal.

Uma Babá Quase Perfeita

O que um pai pode fazer quando judicialmente é proibido de se aproximar de seus filhos? Um pai normal tentaria uma outra forma, faria um acordo ou algo assim. Mas Daniel Hillard não poderia agir da mesma forma que um homem comum. Para se reaproximar dos filhos ele se fantasia de babá. Mas a fantasia ganha proporções inesperadas e a Sra. Doubtfire acaba na TV apresentando um programa infantil. Ponto para Williams em mais um papel memorável. E mais um Globo de Ouro de melhor ator em comédias.

Jumanji

Duas crianças encontram um misterioso jogo no sótão de casa e, ao jogar, descobrem que podem ir parar dentro de um outro mundo ou liberar criaturas para o nosso universo, como macacos, hipopótamos ou um homem que ficou preso ali por décadas quando sua amiga desistiu de jogar e o abandonou. Esta é a história de Jumanji e este homem é Robin Williams, em uma das melhores aventuras infatojuvenis que o cinema já produziu até hoje.

A Gaiola das Loucas

Ao lado de Nathan Lane, Williams protagoniza esta comédia adaptada de um filme francês como um casal gay que se preparar para conhecer a família da noiva do filho de um deles. Tradicionalista e política, a família não pode saber que o pai do rapaz é gay e ele decide armar um teatro hilário ao lado do companheiro e do mordomo para convencê-los de que também é de uma família tradicional.

Gênio Indomável

Foi somente em sua quarta indicação que Williams ganhou o Oscar (de melhor ator coadjuvante) pela atuação como o professor que ajuda o personagem de Matt Damon a se encontrar na vida. O drama escrito por Damon e Ben Afflek e dirigido por Gus Van Sant venceu ainda o Oscar de roteiro original e ajudou a alavancar a carreira dos dois atores/roteiristas.

Amor Além da Vida

Pode não ser um dos melhores filmes de sua carreira mas o deslumbre visual de Amor Além da Vida é uma das coisas mais impressionantes vistas na tela do cinema. Na história, um homem (Williams) precisa passar pelo céu e inferno em busca da esposa que se suicidou. O filme levou o merecido Oscar de efeitos visuais e é talvez uma das obras mais tocantes da carreira do ator.

Patch Adams: O Amor é Contagioso

Mais uma indicação ao Globo de Ouro para Williams como o estudante de medicina que nos anos 70 trata seus pacientes usando humor. Ao entrar em um hospital e decidir que pacientes são mais que nomes e números em macas, ele prova que sentimento e carinho podem ser tão poderosos durante o tratamento quanto os remédios.

O Homem Bicentenário

Novamente sob a direção de Chris Columbus (o mesmo de Jumanji), Williams desta vez é um robô que em nome do amor por sua dona decide tornar-se humano. Com ajuda de médicos e cientistas ele consegue o improvável e, por duzentos anos, acompanha o crescimento, vida e morte de sua amada Portia (Embeth Davitz) até decidir que mesmo pra ele já é demais.

Retratos de Uma Obsessão

Foi com Insônia, no mesmo ano, que Williams se destacou como um dos primeiros vilões de sua carreira. Mas foi em Retratos de Uma Obsessão que ele mostrou primeiro seus dons para a vilania. Seymour Parrish trabalha em um estande de revelações fotográficas que se torna obcecado por uma família e decide ele mesmo intervir quando percebe que as coisas não estão bem com o casal. Um dos filmes menos conhecidos do ator, e um dos mais tensos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: