Resenha do site – Quando as Luzes se Apagam

Quando-as-Luzes-se-Apagam-PosterEstá ficando bem complicado separar e filtrar os filmes de terror. A variação é somente se há uma criança possuída ou um demônio, porque de resto, estão ficando todos basicamente iguais.

E infelizmente Quando as Luzes se Apagam não vai muito além. Em uma trama interessante mas não muito, o longa coloca uma criança e sua irmã mais velha às voltas com uma entidade com a qual somente sua mãe tem contato. Não se sabe bem o que este “espírito” quer, mas aparentemente ele se mantém fiel à mãe e fará tudo para protegê-la.

Uma das sacadas do filme é fazer com que este espírito maligno só se manifeste na escuridão. Claro que isso pode ter uma explicação, e o longa vai trabalhar para que tudo seja explicado entre um susto e outro.

Baseado em um curta de 2013 do diretor David Sandberg, Quando as Luzes se Apagam não consegue passar aquele sentimento de medo e de urgência que muitos outros filmes conseguem. Sua trama é simples, talvez até demais, e não conseguimos entrar de cabeça em sua história. Acaba ficando no meio do caminho. Nem um filme bom, nem um filme ruim.

Mas existem duas formas de se ver o filme (só que não queremos estragar a experiência pra quem ainda não viu), então falaremos desta outra maneira na forma de spoiler. Ou seja: o texto branco, quem quiser ler basta selecionar, logo depois da imagem.

lights out.jpg

Assim como se falou de BabadookQuando as Luzes se Apagam pode ser visto como uma grande metáfora para a depressão. A personagem de Maria Bello (Sophie), a mãe com quem a entidade se manifesta, na verdade sofre de depressão severa. Basta ver que ela só “vê” o espírito de Diana quando não toma seus remédios.

Diana nunca ataca os filhos de Sophie de maneira fatal, ao contrário do que faz com quem se coloca entre ela e os filhos. Diana tem uma história, mas como a própria Sophie diz em determinado momento, documentos podem ser falsificados.

O fato de Diana só aparecer no escuro também é um indício de que o espírito é a própria mãe, já que assim os filhos não conseguirão vê-la. Tendo a mãe histórico de doenças mentais (não se sabe por que ela foi internada), é fácil concluir que os filhos também podem ter algum problema. O pequeno Martin pergunta, em determinado momento, se com mãe louca significa que eles também são loucos. Isso explica o fato de eles acreditarem “ver” o espírito de Diana junto com a mãe, como se fossem duas pessoas separadas, ou fora da casa. 

No final do filme, a mensagem fica clara: Diana só vive se Sophie viver. E isso nos leva a concluir que sim, Diana está “dentro” de Sophie. É uma outra versão desta mãe que, levada por depressão e problemas psicológicos, vai fazer o que puder para que os filhos não saiam de perto dela. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s