Próxima novela das 21h, ‘O Sétimo Guardião’ trará de volta o “Aguinaldoverse” do realismo fantástico

Faz mais de 20 anos, desconhecido portanto pela geração millennial, mas A Indomada de 1997 foi a última novela de realismo fantástico da Rede Globo escrita por Aguinaldo Silva (em exibição no Canal Viva). Desde então, o autor vem se atendo mais às tramas realistas, como Império, Senhora do Destino Fina Estampa.

Mas eis que o rei das novelas das 21h vai voltar às tramas fantásticas. Depois de Pedra Sobre Pedra, Fera Ferida e A Indomada, Aguinaldo Silva volta com a próxima novela das 21h da Rede Globo: O Sétimo Guardião.

Não é exagero dizer que o autor criou um “universo novelístico” em suas tramas. As cidades fictícias de Tubiacanga (Fera Ferida) e Greenville (A Indomada) frequentemente aparecem em outras histórias escritas por ele. Por exemplo: ao final de Fina Estampa, a personagem de Eva Wilma acaba indo para Geenville, cidade de A Indomada, novela que Wilma era a grande vilã com seus bordões em inglês.

Antes de ir, a personagem discute o itinerário, composto pelas cidades das novelas nordestinas escritas por Aguinaldo Silva: Asa Branca (“Roque Santeiro”), Santana do Agreste (“Tieta”), Resplendor (“Pedra Sobre Pedra”), Tubiacanga (“Fera Ferida”) e Greenville (“A Indomada”).

fina estampa aguinaldo silva final.jpg

Agora, partiremos novamente para Serro Azul, a cidade vizinha a Resplendor, Tubiacanga, Greenville e Porto dos Milagres (da novela de mesmo nome, também de Silva), em uma nova trama fantástica.

Em O Sétimo Guardião, que deve estrear em 12 de novembro, acompanharemos um grupo de sete… guardiões… responsáveis pela guarda de uma fonte mágica.

Os tais guardiões são o prefeito Eurico (Dan Stulbach), o delegado Machado (Milhem Cortaz), o médico Aranha (Paulo Rocha), o mendigo Feliciano (Leopoldo Pacheco), a cafetina Ondina (Ana Beatriz Nogueira), a esotérica Milu (Zezé Polessa), e Egídio (Antônio Caloni), o guardião-mor.

Escolhidos através de um ritual secreto, eles são substituídos a cada vez que um morre. Sempre por perto dos guardiães está Léon, o gato de Egídio. Alguns comentam que o animal tem poderes. Outros se arriscam a dizer que ele não é apenas um gato.

Quem também tem uma ligação muito forte com Léon é Luz da Lua (Marina Ruy Barbosa). A jovem, recém-formada professora, foi criada pelo avô, Sóstenes (Marcos Caruso), como uma menina comum. Luz sabe, no entanto, que esse adjetivo não se aplica a ela. Desde pequena, tem sonhos enigmáticos, alguns deles são visões de algo que está prestes a acontecer. Além disso, Luz se entende com o gato através do olhar. E é justamente a partir de León – ou melhor, de seu desaparecimento – que a história de O Sétimo Guardião começa a ser contada.

A fonte é alvo da cobiça da empresária do ramo de cosméticos Valentina Marsalla (Lilia Cabral), que pretende utilizar suas águas na criação de produtos estéticos.

lilia-cabral-825x509.jpg

Ela é mãe de Gabriel (Bruno Gagliasso), jovem destinado a substituir Egídio e assumir o posto de guardião-mor. Por consequência e tradição, ele é impedido de se casar – situação que se torna tensa quando se apaixona por Luz da Lua (Marina Ruy Barbosa).

o-setimo-guardiao.jpg

Boa parte da fantasia poderá ser constatada pela presença do gato Leon. Espécie de fio condutor da trama, o felino é, na verdade, um humano – mais à frente, interpretado por Eduardo Moscovis, vítima de uma maldição que o transformou em bicho.

Não por acaso, o gato é figura central em algumas das principais obras de grandes escritores, como Gabriel García Márquez (“Eva está dentro de seu gato”), Edgar Allan Poe (“O gato preto”) e H.P. Lovecraft (“Os gatos Ulthar”), todos admirados por Aguinaldo, que já admitiu que começou a escrever realismo fantástico depois de ter lido “Cem Anos de Solidão” de Garcia Márquez durante a ditadura.

Aguinaldo diz que, nos últimos tempos, notou que “a realidade se tornou terrível e muito avassaladora”. “Cheguei à conclusão que nenhuma ficção poderá competir com ela.”

Foi quando decidiu voltar ao realismo mágico, com “O Sétimo Guardião“.

Enquanto isso, em São Paulo…

Valentina Marsalla (Lilia Cabral), famosa empresária do ramo de cosméticos, só pensa no casamento de seu único filho, Gabriel (Bruno Gagliasso). O rapaz nem imagina, mas, na juventude, Valentina foi abandonada no altar por Egídio e fugiu de Serro Azul jurando nunca mais voltar. Assistir ao filho dizer “sim” seria uma maneira de ver o sonho do casamento realizado e, ao mesmo tempo, garantir o futuro de seus negócios, já que Gabriel se tornaria genro do poderoso Olavo de Aragão Duarte (Tony Ramos). Porém, subitamente e sem dar explicações, o rapaz desiste de subir ao altar com Laura (Yanna Lavigne) e vai embora, para desespero de Valentina. O que ela não sabe é que horas antes, León esteve em São Paulo diante de seu filho.

Em uma manobra misteriosa do destino, Gabriel dirige rumo a Serro Azul, sem nunca ter sequer ouvido falar da cidade. Chegando lá, a primeira pessoa a cruzar seu caminho é Luz. Em pouco tempo, os dois percebem que estão ligados pelo amor. Disposto a viver esse sentimento, Gabriel será capaz de enfrentar até mesmo a fúria de sua mãe. O casal só não imagina que vai se deparar com um obstáculo ainda maior.

Primeira novela de Nany People

Quem também estará na trama é Nany People, na história de Aguinaldo Silva, a atriz e humorista viverá um químico que mora em Paris e é resgatado por sua amiga de infância, interpretada por Lilia Cabral. A vilã, porém, não sabe que ele, agora, é uma mulher.

“A personagem central, da Lilia Cabral, tem um segredo, uma identidade que ela guarda. Ela muda de nome, se chamava Marlene e passa a ser Valentina. Na cidade de Serro Azul há a fonte da vida com sete guardiões, e ela tenta capitalizar isso. Farei um amigo de infância dela, um químico que ela já agrediu no passado e o resgatou de Paris, só que ela não sabe que ele fez uma adequação de identidade de gênero”, antecipou Nany em entrevista ao programa de rádio “Do Balacobaco 2.Zé”, da 89 FM, nesta quarta-feira (20).

“Ele se opera e volta readequado, só que há um paradoxo: ele se recusa a mudar o nome. Ele quer continuar chamando Marcos Paulo Pionowiski. É operado, tem identidade de gênero feminina, é uma mulher e vive como uma mulher, mas não quer mudar de nome”, explicou a atriz.

Nany  herdou o papel que seria de Renata Sorrah. Aguinaldo Silva e a Globo optaram por escalar uma atriz trans.

“Este personagem, à priori, foi idealizado para ser da Renata Sorrah, e acabei sendo convocada. O pessoal acha: ‘A Nany estava em casa e o telefone tocou’. Não é bem assim. Eu fiz um teste, fui chamada para fazer um registro, mandaram uma cena, fui lá, gravei bonitinha, bem quietinha. Fui por minha conta e risco. E tem que ser uma atriz transex para dar chances a transexuais também. Estou muito feliz, porque é a primeira vilã da minha vida”, comemorou.

“Essa história de amor está condenada por uma maldição. Gabriel, para assumir seu posto de guardião-mor da fonte, não pode se casar”, adianta o autor.

O Sétimo Guardião, próxima novela das nove, é uma obra de Aguinaldo Silva com direção artística de Rogério Gomes. No elenco estão: Marina Ruy Barbosa, Bruno Gagliasso, Lilia Cabral, Tony Ramos, Dan Stulbach, Milhem Cortaz, Antônio Calloni, Paulo Rocha, Ana Beatriz Nogueira, Leopoldo Pacheco, Zezé Polessa, Marcos Caruso, Elizabeth Savalla, Vanessa Giácomo, Letícia Spiller, Flávia Alessandra, Marcelo Serrado, Carolina Dieckmann, José Loreto, Caio Blat, Yanna Lavigne, Marcello Novaes, Fernanda de Freitas, Isabela Garcia, Ailton Graça, Bruna Linzmeyer, Giullia Buscacio, Carol Duarte, Paulo Vilhena, Viviane Araújo, Júlia Konrad, entre outros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s