#listadefilmes – os piores remakes do cinema

Pesquisando na internet vi muitas listas com os piores remakes. Muitos títulos divergem, mas alguns em específico estão em todas elas. Vou listar aqui alguns destas listas que concordo e um ou outro que não aparecem mas que, na minha opinião, qualquer ser inteligente deveria passar longe…

Psicose 

Psycho_1
Ano: 1998
Produção original: 1960

Psicose aparece em primeiro lugar em muitas das listas de piores remakes. O clássico de Alfred Hitchcock manteve muitas cenas parecidas, mas não agradou. O personagem Norman Bates, de Vince Vaughn, se afasta do espírito obsessivo que o ator Anthony Perkins fez e fascinou há muitos. A espera agora, é pelo filme Birds, outro clássico de Hitchcock, que ganha remake com a atriz Naomi Watts.

Godzilla 

godzilla
Ano: 1998
Produção original: 1954

Assim como Planeta dos Macacos, a versão norte-americana de Godzilla se leva muito a sério quando tenta reproduzir efeitos especiais de ponta e mostra um grande blockbuster, cuja maior referência não são os monstros japoneses alterados pela radiação da bomba atômica e sim por outras produções como Jurassic Park e Alien. Os prédios de isopor tomam forma em efeitos 3D e o monstro de plástico se torna uma verdadeira-obra em CGI, valorizando muito mais as cenas de perseguição e ação do que o roteiro em si.

Casa de Cera

casadecera
Ano: 2006
Produção original: 1953

Paris Hilton é morta neste filme, mas nem isso tirou os fãs da indignação quando os atores escolhidos e a própria direção transformaram um clássico do suspense em um típico terror adolescente, nos mesmos moldes de Pânico e Eu sei o que vocês fizeram no verão passado.

Planeta dos Macacos

planetadosmacacos
Ano: 2001
Produção original: 1968

Quando foi anunciado, Tim Burton era considerada a melhor opção para refilmar um clássico sobre humanos perdidos em um planeta dominado por primatas. O filme, no entanto, acabou se saindo mais sombrio e fantasioso do que ele realmente já parecera. Os diálogos de ironia política e diferenças sociais fizeram com que essa produção fosse levada muito mais a sério do que a original. Para os fãs, a grande decepção é a exclusão da cena final, quando a Estátua da Liberdade aparece soterrada na areia.

A Pantera Cor-de-rosa 

A Pantera Cor-de-rosa
Ano: 2006
Produção original: 1963

O clássico de 1963 transformou-se em uma comédia escrachada, com Steve Martin no papel principal e trouxe até Beyoncé como apoio de elenco. Nem a cantora, porém, salvou A Pantera Cor-de-rosa de ser um filme bem distante do clássico, repleto de mistério, ironias e referências que muitos cinéfilos idolatram.

O Dia em que a Terra Parou 

O Dia em que a Terra Parou
Ano: 2008
Produção original: 1951

O original de Robert Wise é um dos marcos da ficção científica cuja sua mensagem ainda hoje perdura e mantém sempre actual, a versão de 2008 por outro lado é um contagiado da síndrome de Al Gore e enche todo o seu contexto com mensagens ecológicas e efeitos especiais sofisticados, que se tornam banais graças a um enredo enfadonho e interpretações melancólicas, apenas Keanu Reeves, conhecido pela sua inexpressividade foi o único que tem um papel á altura na pele do extraterrestre Klaatu.

O Sacrifício

O Sacrifício
Ano: 2006
Produção original: 1973

É penoso ver Nicolas Cage a submeter a tão mau gosto, O Sacrifício é baseado no subvalorizado thriller de Robin Hardy, sobre um agente da policia que investiga o desaparecimento de uma criança numa pequena ilha onde reina uma antiga e pouco ortodoxa religião pagã. O Sacrifício se resume a uma viagem pelo péssimo trabalho dos envolventes, quer na realização e o seu trabalho de câmara, quer mesmo na péssima performance do ator Nicolas Cage, a história é encaminhada por curtos momentos de facilitismo e a correria da narrativa leva-nos a um fatigante e pesado final. Felizmente foi mal recebido pelo público em gera de tal forma que a prevista produção de uma sequência foi negada pelo estúdio.

Água Negra

Água Negra
Ano: 2005
Produção original: 2002

Walt Disney Pictures lançando um filme de horror? Disfarçando como se fosse da Touchstone Pictures? De qualquer maneira, o que acertou os cinemas foi uma hora e meia de um drama sobre uma mulher, uma criança e uma porrada de água. Terrível em todos os aspectos, a refilmagem dirigida pelo brasileiro Walter Salles do filme japonês não agradou nem público nem crítica e quase sepultou sua carreira em Hollywood.

Vanilla Sky

Vanilla Sky
Ano: 2001
Produção original: 1997

Pouca gente sabe, mas o terrível Vanilla Sky é remake de um ótimo filme espanhol chamado Abre los Ojos (no Brasil: Preso na Escuridão). Produzido por Tom Cruise, a refilmagem americana copia quadro a quadro o original, trazendo ainda Penelope Cruz no mesmo papel em ambos os filmes. Quem não conhece o original geralmente gosta de Vanilla Sky. Mas quem conhece corre o risco de dar risada dos diálogos absurdos de Cruise e Cameron Diaz (também presente na refilmagem).

Morte no Funeral

Morte no Funeral
Ano: 2010
Produção original: 2007

Algumas refilmagens são simplesmente inexplicáveis. Em 2007 um filme inglês com ótimo timing de humor negro (como só eles sabem fazer) estreou mundialmente, mas pouca gente viu: a história de uma anão que surgia no funeral de um pai de família dizendo-se seu amante. Era hilário e inteligente. Então o que os Estados Unidos resolveram fazer? Sim, refilmar. Transformando numa daquelas comédias étnicas só com negros no elenco e com piadas de péssimo gosto (sim, com escatologia) transformaram um filme inteligente no mais puro besteirol sem a menor graça.

A Herança de Mr. Deeds

A Herança de Mr. Deeds
Ano: 2002
Produção original: 1936

Alguns atores têm o dom de estragar qualquer filme em que apareçam. Quando se trata de uma refilmagem de um clássico então a probabilidade ainda é maior. O galante Gary Cooper deve ter se revirado muito no caixão ao ver o estapafúrdio Adam Sandler transformar seu personagem em um palhaço abobalhado, como de costume…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: