Versões brasileiras “peculiares” de músicas conhecidas

Já fazia algum tempo que queríamos fazer este post por aqui. A gente adora música e volta e meia surge uma versão brasileira de uma música internacional que é muito boa (vide Catedral – Zélia Duncan/Tanita Tikaran).

Mas aqui vamos falar hoje  de versões digamos, peculiares. Coisas mais incomuns e até divertidas que já ouvimos por aqui.

Eye In The Sky (Alan Parsons Project) / Um Mundo Só Pra Nós (Gáz)
Para quem conheceu, a decada de 80 foi um dos períodos mais divertidos musicalmente no Brasil. Grupos como Yahoo, Placa Luminosa e o Gaz faziam a alegria das festinhas nos momentos românticos. Essa versão do sucesso Eye In The Sky é deliciosamente brega, e eu adoro.
Love Bites (Def Leppard) / Mordida de Amor (Yahoo)
Já que falei da decada perdida, nada melhor a descobrir que este outro sucesso também é uma versão. E daquelas bandas de heavy metal melódico tão ruins quanto a versão nacional…
Mandy (Barry Manyllow) / Mais do que imaginei (Catedral)
O Catedral sempre foi e será a banda do cara que tem a voz igual ao Renato Russo, mas algumas de suas musicas são bem bacanas. Como essa.
If You can’t give me love (Suzi Quatro) / Se você me quiser (The Fevers)
Seus pais devem saber quem foram os Fevers, pergunte. A versão original em inglês é clássica, mas a nacional é bem bonitinha tbem, e engraçada.
Don’t get me wrong (The Pretenders) / Não leve a mal (Dani Carlos)
Não tenho muita certeza de quem é a Dani Carlos, mas esta versão é super divertida, é só não levar a mal…
Chorando se foi (Grupo Kaoma) / On The Floor (Jenifer Lopez)
Quando me disseram que a J.Lo tinha feito uma versão desta musica, quase que chorando me fui, mas no Rio ouvi duas vezes e até achei bacaninha. Mas convenhamos, a versão lambada é ours concours….
I Should Be So Lucky (Kylie Minogue) / Acho Que Sou Louca (Simmony)
Quando Kylie Minogue ainda tinha cabelos cacheados e fazia músicas inocentes, no Brasil Simonny ainda era uma mocinha inocente. Lá se vão muitos anos… e ficamos com essa pérola.
What’s Up? (4 Non Blodes) / Quero Muito Mais (Vinny)
Antes de “estourar” (hãm) com Mexe a Cadeira, Vinny gravou esta versão meio reggae do sucesso dos anos 90. Vai veno.
Linger (The Cranberries) / Se A Gente se Entender (Angélica)
Angélica era outra que gostava de atacar de cantora nos anos 90. Se seu maior sucesso (Vou de Táxi) era uma versão de uma música francesa, foi com esta versão dos Cranberries que a loira arrebatou corações adolescentes.
Santeria (Sublime) / Uma Onda Que Passou (Tribo de Jah)
Não sei se reggae e skate tem muito a ver, mas o Sublime garantiu sua versão brasileira na voz (hãm) do grupo Tribo de Jah e um reggae rasgado, daquele de erguer a perninha e tudo.

https://www.youtube.com/watch?v=WMo34JnCXOw