Jeremy Renner e Anthony Mackie se irritam com politicamente correto em Hollywood e polemizam sobre sexismo e racismo

É, a gente sabe que existe sim uma desigualdade em Hollywood quando se fala em sexismo e racismo. Nem é preciso ser muito esperto pra perceber. Basta ver: quantos filmes estrelados por mulheres temos em comparação com filmes estrelados por homens? Filmes sérios, quantos são masculinos e quantos femininos? E filmes de super heróis? Com relação a negros a mesma coisa. Difícil lembrar de um filme “com pessoas negras” que não fale só de racismo. Assim como filmes estrelados por mulheres que se limitam a dramas da idade ou comédias românticas (sempre há uma figura masculina e um interesse amoroso envolvido). Como se o universo de qualquer grupo de pessoas se limitasse a um único tema.

jeremy-renner-anthony-mackie

Jeremy Renner e Anthony Mackie

É por conta disso que diversas atrizes estão erguendo sua bandeira em prol da igualdade de salários e de direitos em Hollywood para homens e mulheres. Gwyneth Paltrow recentemente deu uma entrevista onde disse que ninguém deveria receber o salário que Robert Downey Jr recebeu. Maggie Gyllenhaal se indignou ao ouvir que ela, com 37 anos, estava velha demais para o par romântico de um homem de 55. E por aí vai. Jennnifer Lawrence, Meryl Streep, Kirsten Stewart e várias outras já se posicionaram sobre o tema. Natural então que alguns homens também se colocassem a favor dele, como fez Bradley Cooper. O ator afirmou que de agora em diante irá se encontrar com as atrizes dos filmes que irá estrelar para negociar salários em conjunto, da maneira que acharem mais justa para todas as partes.

No entanto, Jeremy Renner parece pensar diferente. O ator que interpreta o Gavião Arqueiro afirmou em entrevista ao site Business Insider que até concorda com as reivindicações de Lawrence, mas que “não é sua função” adotar uma postura semelhante a de Cooper. “Este não é o meu trabalho. Não sei nada sobre contratos, dinheiro, esse tipo de coisa. Sou um artista e conheço o comportamento humano. Quando o assunto é este, eu deixo que as pessoas lidem com isso por conta própria. Faço aquilo em que sou bom e este é meu foco“, afirmou o ator. Recentemente Jennifer Lawrence publicou um artigo falando abertamente sobre a questão. O texto toma como exemplo o incidente que ocorreu na pré-produção de Trapaça, filme de David O. Russell em que todos os homens do elenco principal (Christian Bale, Bradley Cooper e Jeremy Renner) ganharam mais do que as mulheres do elenco principal (J. Law e Amy Adams).

Veja nossa comparação dos salários mais altos de Hollywood no ano e tire suas próprias conclusões.

Enquanto isso, Anthony Mackie (que interpreta o Falcão nos filmes dos Vingadores, colega de elenco de Renner) se posicionou perante o racismo de forma também inesperada.

A Marvel está procurando um diretor afro-americano para comandar o filme solo do Pantera Negra, mas Mackie, não acredita que a raça do cineasta seja relevante:

“Eu não acredito que isso seja importante”, disse o ator em entrevista ao Daily Beast. “Eu acho que a etnia do diretor não tem nada a ver com a sua habilidade de contar uma história. Uma mulher também podem dirigir o filme – dois dos meus melhores trabalhos foram dirigidos por mulheres. Então isso é relativo. Que o melhor homem – ou mulher – vença”.

Mackie continuou: “O trabalho do diretor é contar a história e fazer justiça à ela. Eles não colocaram um cavalo para dirigir [o filme] Seabiscuit”, concluiu o ator sobre a relevância da cor do diretor para o sucesso de um filme.

Parece que por mais relevantes que estas lutas sejam, elas estão atingindo os atores de formas contraditórias e alguns parecem cansados de se verem na obrigação de levantar bandeiras. O recado de Mackie é claro (assim como foi o de Obama uma vez): não é porque sou negro que preciso pensar para negros.

Assim como acontece com direitos dos gays e de qualquer minoria, o que se pede sempre é igualdade. Alguns grupos acham que igualdade é tratar de forma especial. Se há diferenciação, não há igualdade. Claro que também achamos absurdo o sexismo dos estúdios de Hollywood, mas a postura de Renner deixa claro o quanto esta discussão está sobrepondo o resto.Da mesma forma que a opinião de Mackie nos mostra que o favorecimento a um diretor negro só pelo fato do protagonista da história ser negro é absurdo. É o mesmo que continuar dizendo que negros só podem participar de histórias “de negros”, que envolvam racismo ou algo do gênero.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s