Um tributo a Alan Rickman: muito além de Professor Snape

Para quem não tem memória cinematográfica (ou nunca assistiu outro filme a não ser Harry Potter), precisamos esclarecer uma coisa muito importante: Alan Rickman era muito mais que Professor Snape.

Alan-Rickman.jpg

Um dos mais importantes atores ingleses do cinema, Rickman começou sua carreira em 1978 em um filme para a TV adaptado de Romeu e Julieta onde interpretava Teobaldo, primo da protagonista.

De lá pra cá, o ator que possuía uma expressão única de sarcasmo praticamente esculpida no rosto e nas sobrancelhas arqueadas e expressivas, participou de mais de 65 produções. Sim, leitores, são quase 40 anos de carreira e quase 70 produções. Não se limitem a chamá-lo de “Professor Snape”.

Seu primeiro papel em Hollywood veio num embate com Bruce Willis, em Duro de Matar de 1988. Hans Gruber, o vilão do filme, mostrou ao mundo do cinema americano quem era Alan Rickman. E o ator não considerava seu personagem realmente um vilão. Para ele, Gruber era apenas um homem que queria muito alguma coisa e lutava para tê-la. O personagem foi pintado com tons tão humanizados e profundos que se igualava em conflitos com o protagonista. E criou o vilão mais icônico da série.

Hans-Gruber-Die-Hard

Assim Rickman praticamente estabeleceu sua carreira como um intérprete de vilões. Depois de Duro de Matar vieram diversos outros, com destaque para o personagem em Sweeney Todd, o musical de humor negro do diretor Tim Burton.

alan rickman sweeney todd.png

Mas Rickman também sabia emocionar. E com seus personagens em Razão e SensibilidadeSimplesmente Amor, fez chorar muita gente dentro dos cinemas.

No setor de dublagens, as mais marcantes foram a voz do robozinho Marvin em O Guia do Mochileiro das Galáxias e da lagarta em Alice no País das Maravilhas, papel que ficará marcado como seu último trabalho no cinema: este ano estreia a sequência, Alice Através do Espelhoainda com Rickman no papel da lagarta.

2010_alice_in_wonderland_014.jpg

Rickman também sabia fazer rir e em Dogma, a comédia insana sobre anjos rebelados dirigida por Kevin Smith, interpretou Metatron. Um anjo enviado para a Terra para informar à protagonista sua jornada e para protegê-la. Metatron era anjo mas era mundano. Gostava de beber e de outras coisas de homens comuns, e não hesitou em baixar as calças para mostrar que não era “equipado” com assessórios humanos, por mais que tivesse desejos, em uma cena clássica dos filmes cult.

Metatron-Alan-Rickman

Mas é claro que para toda uma geração, Rickman será para sempre o Professor Severus Snape. Personagem que encarnou de 2001 a 2011 nos oito filmes da série Harry Potter, Snape era o antagonista perfeito, o meio-termo entre a maldade exagerada de Voldemort e a bondade exagerada de Potter.

Para muitos jovens que pouco conhecem de cinema, foi o Professor Snape quem morreu nesta semana. Para os amantes de bons filmes, foi um ator dos mais memoráveis, que permanecerá na história da sétima arte como um dos melhores de seu tempo.

snape

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s