Cinco decepções cinematográficas em 2018

Pois é, nem tudo são flores no cinema né? Tem alguns filmes que a gente vai sem prentensão nenhuma e acaba achando incrível e já outros que vai com toda a boa vontade e se decepciona.

Vamos citar aqui cinco longas deste último caso: filmes que achávamos que seriam bons e descobrimos que, embora possam ser bons, foram decepcionantes.

Uma Dobra No Tempo

Parece absurdo um estúdio como a Disney não conseguir emplacar uma franquia. E olha que já foram muitas tentativas (John Carter, Príncipe da Pérsia, Tomorrowland, O Cavaleiro Solitário….). Uma Dobra no Tempo foi mais uma tentativa e fracassou mais uma vez. O longa de Ava DuVernay é chato e arrastado e sua história enrolada e de difícil compreensão não agrada crianças nem adultos;

Nasce Uma Estrela

Um dos filmes queridinhos do ano, Nasce Uma Estrela é pouco além de mais do mesmo. Quantas vezes você já não assistiu à história da moça que quer ser famosa, conhece um cara e… fica famosa? A gente sabe que quando a história não é muito original, a forma de contá-la é que importa. E aqui, bom, a forma de contar também não é nem um pouco original. Vale como primeiro trabalho de Bradley Cooper na direção e como exercício de atuação para Lady Gaga. No mais, você já viu este filme. Outro ponto em que o filme deixa muito a desejar é a representatividade LGBT. Era de se esperar que um filme estrelado por Lady Gaga falasse diretamente com o público gay. Ao invés disso, temos personagens gays irrelevantes pra história.

Leia nossa resenha

Operação Red Sparrow

O sucesso das mulheres a frente dos filmes de ação levou à produção de Red Sparrow mas isso não foi o suficiente. Embora tenha uma história interessante e Jennifer Lawrence no campo de batalha, o longa peca pela falta de ritmo, se arrastando por longas duas horas em que pouca coisa de ação realmente acontece. Mirou em Atômica e acertou no sonífero.

Círculo de Fogo: A Revolta

OK, eu preciso admitir que quando o primeiro filme foi anunciado torci o nariz. Robôs gigantes brigando com criaturas monstruosas? Bitch please! E acabei quebrando a cara e enfrentando um dos filmes mais bacanas dos últimos tempos. Então, claro, a expectativa pela segunda parte, cinco anos depois, era grande. E do mesmo tamanho dela foi a decepção. O segundo longa apenas anaboliza o primeiro, diminuindo ainda mais o pouco de história que o filme já tinha e multiplicando robôs e monstros. Deu saudades dos Transformers.

Os Incríveis 2

A Pixar sempre disse que sequências só seriam produzidas quando eles tivessem algo a dizer. Pois parece que o lema foi deixado no fundo de uma gaveta em nome do lucro. Quatorze anos depois de Os Incríveis, a sequência chegou aos cinemas para… não dizer nada. Sua história tola e sem muito enredo serve apenas para expor o alívio cômico de Jack Jack. Como Meu Malvado Favorito vem, filme a filme, usando dos minions para aumentar sua popularidade, Os Incríveis 2 se apoia no filho mais novo da família para render risadas e fofurices e deixa de lado a preocupação em contar uma boa história, como o primeiro contou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s