Resenha do site – Dia do Sim

Eu não sou pai, mas tenho plena noção de que a vida de uma pessoa muda completamente após o nascimento de um filho. Bom, da maioria pelo menos.

O peso da responsabilidade e da educação dos filhos transforma a pessoa que curte tudo, diz sim para tudo para uma cuja vida é cheia de nãos. Não pode isso, não pode aquilo, e a vida se torna um emaranhado de regras.

Então é com alguma surpresa que Allison (Jennifer Garner) percebe que, depois de ser a garota que aproveitava a vida e dizia sim para todas as aventuras, ela se tornou a mãe que diz não o tempo todo para os filhos e, para eles, se tornou a mãe chata, controladora e ditadora. Quando ela percebe que, enquanto isso, o pai passa a mensagem do cara legal e divertido e que seus filhos podem estar recebendo a mensagem errada na sua educação, ela toma uma atitude radical: influenciada pelo treinador da escola, o casal descobre o tal “dia do sim” e, num rompante de olha como eu sou divertida, ela resolve usar a tática com as crianças.

Como se trata de um filme para toda a família, Allison e Carlos (Edgar Ramírez) vão estipular regras: o dia do sim terá que ser merecido e conquistado com boas notas e bom comportamento. E, nas 24h que os pais devem dizer sim para tudo, regras também são estabelecidas como orçamento, distância de casa e não pedir nada ilegal (ufa).

Dia do Sim é adaptado de um livro infantil escrito por Amy Krouse Rosenthal que se tornou best seller nos Estados Unidos que parte da mesma premissa: um dia onde os pais digam somente SIM para seus filhos. E, no fim das contas, para si mesmos. Voltar a ser criança, se permitir ser bobo ou “irresponsável” (dentro dos limites, é claro), voltar a sentir prazer em coisas que há muito deixamos para trás. Por que não? A liberdade pode ser tanto para as crianças quanto para os adultos. Sair com as roupas que os filhos escolheram pra você, ir a um show de uma banda adolescente, se empanturrar de sorvete logo de manhã. Por que não? Quando foi que passamos a dizer só não para tudo, inclusive para nós mesmos?

Claro que a grande mensagem do filme é a de que o sim também pode ter consequências. Às vezes mais desastrosas que o não, inclusive. Mas pelo sim ou pelo não as crianças aprendem sobre responsabilidades, consequências e, de maneira mais divertida que uma lista infindável de regras, podem valorizar e entender a educação dos pais. E estes pais, usando a desculpa de que estão fazendo isso pelos filhos, podem se permitir pequenas bobeiras e infantilidades pelo menos por 24h.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: