75 curiosidades para celebrar 75 anos de O Mágico de Oz

O filme que neste mês de agosto completa 75 anos de seu lançamento foi inicialmente um grande fracasso. Hoje um clássico, O Mágico de Oz é fruto de várias lendas (confirmadas ou não) e sua produção foi envolta em muita confusão. Leia abaixo 75 curiosidades sobre o filme:

The Wizard of Oz. 1

  • A MGM pagou a L. Frank Baum, autor do livro, a quantia de $75 mil dólares pelos direitos para adaptá-lo para o cinema. Quantia considerada exorbitante para a época.
  • O filme teve cinco diretores ao todo: Richard Thorpe iniciou as filmagens e rodou diversas semanas até ser demitido porque o resultado não agradara e nenhuma de suas cenas está no filme; George Cuckor foi contratado como temporário logo depois e não chegou a dirigir nenhuma cena; o próximo foi Victor Fleming que rodou boa parte das cenas mas abandonou o longa ao ser convidado para dirigir …E O Vento Levou; King Vidor assumiu o posto então, rodando boa parte das cenas no Kansas; o produtor Mervyn LeRoy também chegou a dirigir algumas cenas. Mesmo com tudo isso, que assina o filme é Victor Fleming.
  • O Mágico de Oz começou a ser rodado em 13 de outubro de 1938 e só terminou as filmagens em 16 de março de 1939.
  • Ao todo, o filme teve 14 roteiristas.
  • O roteiro deO Mágico de Oz foi escrito tendo em mente o ator C. Fields para interpretar o mágico de Oz, porém o produtor Mervyn LeRoy procurou antes Ed Wynn, que recusou o papel. LeRoy ofereceu então um salário de US$ 75 mil a Fields, que recusou e pediu US$ 100 mil. Foi a vez então do produtor recusar a oferta.
  • Wald Disney queria filmar O Mágico de Oz logo após lançar Branca de Neve, mas a MGM já possuía os direitos do livro.
  • Frank Morganchegou a fazer um teste com uma maquiagem que deixava o Mágico de Oz parecido com o do livro de  Frank Baum, mas esta foi descartada. Ocorreram mais 5 testes até se chegar à caracterização final do personagem.
  • Inicialmente, a atriz Gale Sondergaard interpretaria a Bruxa Má do Oeste, fazendo uma personagem glamurosa e sedutora como a bruxa má de Branca de Neve e os 7 Anões (1937). Posteriormente os produtores decidiram que a Bruxa Má do Oeste, assim como a grande maioria das bruxas, teria que ser também feia. Então a atriz desistiu da personagem, por não concordar em aparecer feia no filme.The Wizard of Oz - Lion, Scarecrow  Tin Man
  • Ray Bolgerinicialmente foi escalado para interpretar o Homem de Lata. Após muita insistência do ator, ele conseguiu mudar de papel e interpretar o Espantalho, personagem interpretado por seu ídolo de infância, Fred Stone, em 1902.
  • Buddy Ebsen, que inicialmente interpretaria o Espantalho, após a mudança pedida porRay Bolger, iria interpretar o Homem de Lata. Porém, como o alumínio usado na confecção da roupa do personagem era tóxico e gerava uma alergia em Ebsen, este teve que desistir do papel.
  • O ator substituto para o papel do Homem de Lata, Jack Haley, usou uma roupa que diminuía a inalaçãodo alumínio por parte de quem a estivesse usando. Ao ser contratado Haley não sabia do efeito que a roupa causara em Ebsen, acreditando que este tivesse sido demitido pelo estúdio.
  • Os produtores chegaram a cogitar a possibilidade de usar um leão de verdade no filme, o mesmo leão da vinheta da MGM, com suavoz sendo dublada por um ator contratado.
  • A maquiagem usada porBert Lahr para compor o Leão o impossibilitava de comer objetos sólidos, sob o risco dela ser desfeita. Isto fez com que o ator apenas se alimentasse de sopas e milk-shakes durante boa parte das filmagens.
  • A roupa de leão usada pelo ator pesava 45 quilos e era feita em parte com pele de leão de verdade.
  • O Mágico de Oz foi considerado um fracasso. Tendo custado $2,7 milhões de dólares (o filme mais caro até a década de 40), ele rendeu somente $3 milhões quando foi lançado no cinema.
  • Cada um dos munchkins que aparecem no filme recebeu $ 50 dólares por semana, enquanto o dono do cachorro Totó recebeu US$ 125 por semana.
  • Várias das vozes dos munchkins foram dubladas por cantores profissionais, já que muitos de seus intérpretes não sabiam cantar ou até mesmo não falavam inglês corretamente. De todos os munchkins apenas dois deles têm a voz real de seus intérpretes ouvida em O Mágico de Oz: aqueles que entregam a Dorothy um buquê de flores, logo após sua chegada a Oz. A última atriz viva a interpretar um dos munchkins faleceu em janeiro deste ano.munchkins
  • A atriz Margaret Hamilton, intérprete da Bruxa Má do Oeste, teve que ficar afastada dos sets de filmagens por mais de um mês, após ter se queimado seriamente ao rodar a cena do desaparecimento de sua personagem da terra dos munchkins. Sua dublê, utilizada para substituí-la nesta cena, também se queimou durante as gravações.
  • A estrada de tijolos amarelos inicialmente seria verde. A mudança de cor aconteceu após uma dasparalisações nas filmagens, quando ficou definido que a cor amarela seria a melhor a ser usada em um filme feito com Technicolor.
  • O mesmo aconteceu com os sapatinhos de Dorothy que no livro eram prateados mas por causa do advento do Technicolor foram transformados nos icônicos sapatinhos vermelhos de rubi.
  • A Bruxa Má do Oeste do filme O Mágico de Oz tem dois olhos, enquanto no livro tem apenas um.
  • Os cavalos do palácio da Cidade de Esmeraldas foram pintados com tinta de gelatina. As cenas emque eles aparecem tiveram que ser rodadas rapidamente, para evitar que os cavalos lambessem sua pele e removessem a tintura.
  • Inicialmente O Mágico de Oz teria as presenças de Betty Haynes como a Princesa Betty de Oz e Kenny Baker, como seu amante. A dupla chegou a gravar com Judy Garland uma das canções do filme mas, após várias revisões do roteiro, acabaram ficando de fora do longa.
  • Uma outra versão de “Over the Rainbow” chegou a ser gravada porJudy Garland, quando sua
    personagem estava encarcerada no castelo da Bruxa Má do Oeste. Durante sua realização, a atriz começou a chorar espontaneamente, devido à tristeza da cena. Esta sequência terminou ficando de fora da edição final de O Mágico de Oz.
  • A Warner Bros. relançou o filme nos cinemas norte-americanos em 1998.
  • O departamento de figurinos da MGM produziu quase mil peças de roupa para os 600 atores do filme.
  • Muitas cenas da Bruxa Má do Oeste tiveram que ser cortadas do filme, pois a interpretação acabou sendo considerada aterrorizante demais para ser apresentada ao público.
  • Existe uma lenda que envolve um anão que teria se suicidado durante as gravações e aparece no fundo de uma das filmagens. O estúdio nega, e diz ser um pássaro. Ninguém sabe a verdade. Veja o vídeo abaixo:

  • Estes pássaros aliás, que podem ser vistos em várias tomadas do filme, foram emprestados pelo zoológico de Los Angeles, para compor um cenário mais realista.
  • Dorothy se tornou um ícone do cinema e da carreira de Judy Garland, mas inicialmente o papel seria de Shirley Temple, estrela mirim em ascensão na época. No entanto Temple não conseguiu o papel porque não sabia cantar.
  • Judy Garland, então com 16 anos, assumiu o papel da jovem Dorothy, tendo que usar bandagens e corseletes para esconder os seios durante as filmagens, já que Dorothy era apenas uma menina.
  • Há quem diga que este fato acabou por trazer sérios traumas à atriz, que passou a sofrer com diversos distúrbios envolvendo seu corpo durante os anos. Garland se viciou em remédios para emagrecimento, se afundou em dívidas, tentou o suicídio diversas vezes e morreu vítima de overdose em 1969 aos 47 anos.
  • Outra lenda que cerca O Mágico de Oz é sua relação com o disco The Dark Side of the Moon, da banda Pink Floyd. Os mais afoitos, dizem que se o disco for reproduzido junto com o filme, suas músicas e sons se encaixam perfeitamente na história. A banda nega.b68f5-wizard-oz1
  • Em 2005 o American Film Institute publicou uma lista com as 100 frases mais importantes do cinema. A frase de Dorothy “Totó, tenho a sensação de que não estamos mais no Kansas” ficou em quarto lugar.
  • Outra frase do filme, “Não há lugar como nosso lar”, está em décimo primeiro lugar na lista das 100 frases mais importantes do cinema publicada pela revista francesa Première em 2007.
  • Judy Garland quis adotar a cachorrinha que interpretou Totó no filme, mas seu dono não permitiu.
  • Foram fabricados oito pares dos sapatinhos de rubi para o longa. Um deles foi roubado em 2005 e o último a ser vendido alcançou o preço de $165 mil dólares.dorothy shoes
  • A raça de Totó (Terry na vida real) é cairn terrier.
  • O filme tem ao todo nove tomadas solo do cachorrinho, que late 44 vezes durante o longa.
  • Um dos guardas da bruxa má acabou acidentalmente pisando em Terry/Totó durante a gravação de uma cena agitada e quebrando sua patinha.
  • Terry teve uma grande carreira cinematográfica, participando de outros 14 longas, incluindo Olhos Encantados, com Shirley Temple. A cachorrinha morreu aos 12 anos em 1945 e foi enterrada no quintal de seu dono.
  • A tecnologia então inovadora Techicolor exigia mais luz do que o normal. Isso significa que a temperatura nos sets de filmagem às vezes se aproximava dos 40ºC.
  • Apesar de caracterizada como uma bruxa velha, a atriz Margaret Hamilton, que interpretou a Bruxa Malvada do Oeste, tinha apenas 36 anos na época das filmagens.
  • Por outro lado, Billie Burk, que fez o papel de Glinda, a bruxa boa, bonita e jovem, já estava no auge de seus 54 anos.
  • As canções foram gravadas num estúdio antes do início das filmagens. Algumas das gravações foram concluídas enquanto Buddy Ebsen ainda era o Homem de Lata. Então mesmo fora do elenco, sua voz ainda pode ser ouvida em algumas músicas, como ‘We’re off to see the Wizard’.
  • O Mágico de Oz concorreu a seis Oscars, incluindo o de melhor filme. Venceu em duas categorias: melhor trila sonora e canção original.
  • O Mágico de Oz já foi adaptado para o cinema mais de 25 vezes, entre muitas variações. Inclusive no Brasil, com Os Trapalhões e o Mágico de Oroz.Os_Trapalhões_e_o_Mágico_de_Oróz
  • As versões mais recentes são Oz: Mágico e Poderoso (de 2013 que conta uma história anterior ao filme de 1939) e A Lenda de Oz, animação também de 2013.
  • A história de O Mágico de Oz é na verdade a história do primeiro livro da série Terra de Oz. Existem ao todo 40 livros que compõem a série, sendo que os 14 primeiros são do autor L. Frank Baum .
  • Chamados de “Os Famosos Quarenta”, a série ainda é composta por mais dezenove livros escritos por Ruth Plumly Tompson e outros sete de diversos autores. Embora existam diversas inconsistências entre os 40 livros, eles formam “Os Famosos Quarenta”.
  • Como os livros antigos já caíram em domínio público e diversas adaptações e versões vem sendo feitas ao longo do tempo, é praticamente impossível catalogar quantas obras derivadas de O Mágico de Oz existem hoje.
  • Existe inclusive uma obra do mestre do horror Stephen King que se passa na Cidade das Esmeraldas: Wizard and Glass, de 1997. O livro é o quarto volume da série A Torre Negra e no Brasil se chama Mago e Vidro.
  • Existem teorias que ligam O Mágico de Oz à religião de seu autor: L. Frank Baum era membro da Sociedade Teosófica, uma organização empenhada em pesquisas sobre ocultismo. Estas teorias dizem que elementos como a estrada de tijolos amarelos em espiral, as bruxas “do leste e do oeste” e algumas falas do filme fazem referência à religião.
  • Essas mesmas teorias alegam que o falso mágico do filme é uma metáfora para Deus, e que na verdade ele demonstra como aquele Deus que todos procuram para conseguir alguma coisa é na verdade uma farsa.
  • Da mesma forma, ela diz que o fato de o cérebro, o coração e a coragem terem sido encontrados dentro dos próprios personagens demonstra que devemos confiar apenas em nós mesmos para conseguirmos o que desejamos.
  • Para estes teóricos, Oz representa o plano astral da humanidade, onde estão expressados de forma arquetípica os conflitos e batalhas do mundo físico: os conflitos e buscas do Homem de Lata, do Leão e do Espantalho são os mesmos do trio de trabalhadores mostrado no início do filme, não por acaso, interpretado pelos mesmos atores. Desta forma Oz seria o mundo real “espelhado”.
  • Como a maioria dos filmes da década de 1930, ‘O Mágico de Oz’ foi filmado em sets construídos em estúdio. O set era tão grande que até nove câmeras foram colocadas em arbustos, plantas e vasos. As câmeras escondidas faziam os close-ups, enquanto a câmera principal era usada para capturar a cena toda.
  • A criatividade dos cenários e as transições das cenas em sépia e coloridas impressionam e são fontes de referência e inspiração até hoje no cinema. A divisão dos mundos em cores (as partes finais e iniciais sendo em sépia e o mundo de Oz sendo extremamente colorido) se tornou ícone do cinema, reproduzido e homenageado na sequência lançada em 2013, Oz: Mágico e Poderoso.
  • Em uma das cenas, seria preciso unir imagens coloridas e em sépia em uma mesma tomada, mas a tecnologia da época não permitia isso. A solução foi pintar o cenário e vestir e maquiar Dorothy em tons de marrom. Assim, na cena em que ela abre a porta e vê Oz, o que vemos é na verdade uma tomada colorida com a parte do quarto pintada de tinta.dorothy sepia
  • Os efeitos especiais foram absolutamente inovadores para a época. Para se reproduzir o tornado na cena em que ele atinge a fazenda dos tios, foi utilizada uma meia calça. Um primor de engenhosidade.
  • Antes da estreia oficial, o filme teve três previews: dois no dia 11 de agosto de 1939 (em Kenosha, Wisconsin e em Cape Cod, Massachusetts) e outro no dia seguinte, no Strand Theatre, em Oconomowoc, Wisconsin.
  • A estreia em Hollywood ocorreu em 15 de agosto, no Grauman’s Chinese Theatre. Já a estreia em Nova York, em 17/08, aconteceu no Loew’s Capitol Theatre e foi seguida por uma apresentação ao vivo de Judy Garland e seu frequente parceiro de filmes, Mickey Rooney.Eles continuariam se apresentando em estreias por semanas. A estreia nacional ocorreu em 25 de agosto de 1939.
  • ‘O Mágico de Oz’ tornou-se o fenômeno que é ainda hoje apenas quando foi relançado em 1949 e, principalmente, quando foi exibido pela primeira vez na TV, em três de novembro de 1956, na CBS. Estima-se que 45 milhões de pessoas tenham assistido a transmissão.
  • Encorajada pela resposta positiva, a CBS decidiu torná-lo uma tradição anual, exibindo-o todo mês de dezembro, de 1959 até 1962, no horário nobre. Desde então, o filme foi apresentado na televisão apenas uma vez por ano por mais de duas décadas.
  • ‘O Mágico de Oz’ foi lançado em VHS em 1980 e em laserdisc em 1989. O lançamento do primeiro DVD do filme foi em 26 de março de 1997.
  • Em 2009, o clássico completou 70 anos de lançamento e para comemorar foi lançada uma belíssima edição do filme em blu ray, com vários extras, como documentários, a versão completa do filme mudo de 1914, materiais de bastidores como fotografias, notas de estúdio e páginas de script, curiosidades, depoimentos, cenas excluídas etc.
  • Em 2013 foi lançada uma nova edição comemorativa, desta vez com o filme em blu ray convertida para 3D.
  • A canção ‘Over the Rainbow‘ (vencedora do Oscar) por pouco não foi excluída do filme: o produtor Louis B. Mayer não gostou do fato de que Judy Garland seria vista cantando em um curral, cercada de galinhas e outros animais. Porém, graças ao produtor Arthur Freed, a música foi incluída.
  • Uma versão para os palcos da Broadway foi lançada em 2004. Chamada de Wicked, a versão enfatiza a história da Bruxa Má do Oeste e continua em cartaz.
  • Em 2012 estreou no Brasil uma versão nacional deste musical, escrita por Charles Moeller e Cláudio Botelho, quase inteiramente fiel ao filme de 1939. Não fosse por uma canção inteiramente nova composta por Botelho e pela inclusão de um número cortado do longa.
  • O Mágico de Ozfoi mencionado no Guiness – o Livro dos Recordes como o filme em live-action cuja sequência levou mais tempo para ser lançada. O Retorno a Oz foi produzido 46 anos depois do primeiro filme.
  • A personagem da Bruxa Má do Oeste foi interpretada pela atriz Rebecca Mader e apareceu este ano no seriado Once Upon a Time, como irmã da Rainha Má da Branca de Neve e grande vilã da terceira temporada da série.witch-hunt
  • O filme de 2013, Oz: Mágico e Poderoso, conta na verdade a origem do mágico e a origem da Bruxa Má do Oeste, mostrando como ela se tornou vilã, feia e verde.
  • Interpretada pela atriz Mila Kunis, Theodora é inicialmente boa e apaixonada, mas por maquinações da irmã e por conta de um coração partido, acaba se tornando a Bruxa Má do Oeste.
  • Este filme de 2013 foi lançado pelos estúdios Disney. Já a detentora dos direitos do filme de 1939 é a Warner Bros. Essa briga de gigantes impediu que referências ao filme original fossem feitas no filme mais recente.Oz-the-Great-and-Powerful-Review

5 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s