Gotham – primeiras impressões

gotham_banner

Não deve ser fácil criar e produzir um produto que já possua uma carga emocional. Batman já passou por oito filmes, uma série de TV e inúmeras aventuras nos quadrinhos e games. Não é à toa que Gotham vinha cercado de uma expectativa acima do comum. Depois do que o diretor Christopher Nolan fez com Bruce Wayne, nada mais parecia possível. Até ser anunciado que o morcegão iria enfrentar ninguém menos que Superman nos cinemas, estávamos satisfeitos com os bat-feitos nas telinhas e telonas.

Mas eis que Gotham foi anunciada. Pretendendo contar a história de Jim Gordon (ainda não comissário), a série traria um Bruce Wayne ainda criança, longe de se tornar o vingador mascarado de Gotham City, e focaria em Gordon lutando contra o mal. Será que funcionaria? A crítica americana pareceu apostar que sim, e para nós meros mortais, restava esperar a estreia.

Então, depois de assistir ao primeiro episódio qual o veredito? Gotham é, basicamente, uma série policial. Carregando o mesmo tom de “eu sei o que vai acontecer depois” que Bates Motel e Hannibal carregam (afinal todos sabemos que Bruce Wayne se tornará Batman um dia), este começo conta a chegada de Gordon em Gotham. Como seu bom-mocismo irá bater de frente com os costumes e hábitos nada honestos da cidade e os vilões encarregados de serem as grandes estrelas do show.

Se apressando em apresentar todos os seus personagens, o ponto de partida é o assassinato de Martha e Thomas Wayne, mortos por um desconhecido em frente ao filho, o pequeno Bruce Wayne (David Mazouz). Gordon (Ben McKenzie) acabou de chegar na cidade, trabalhando com o veterano Harvey Bullock (Donald Logue) e terá no assassinato seu primeiro caso. A única testemunha do crime é a jovem Selina Kyle (Camren Bicondova) que entre um furto e outro, calhou de estar no local e ver o crime ser cometido. Aos poucos, os outros personagens importantes vão dando as caras na tela, se apresentando aos espectadores. Personagens já conhecidos ou criados especialmente para o programa: Oswald Cobblepot (Robin Taylor), Fish Mooney (Jada Pinckett Smith), Edward Nigma (Cory Michael Smith), a pequena Ivy Pepper (Clare Foley), o mordomo Alfred (Sean Pertwee) e até mesmo Carmine Falcone (John Doman), o mafioso mais temido de Gotham.

gotham

Enquanto a trama do primeiro episódio se desenrola e vemos Gordon abraçar a causa do pequeno Bruce Wayne, vamos testemunhando como as coisas funcionam na cidade: o crime anda solto, trabalhando nas entranhas da polícia, para incriminar quem for preciso. Gordon é enganado e descobre da pior forma que terá que lutar com suas próprias armas para enfrentar a corrupção que corre solta no poder de Gotham. Um homem repleto de moral, ex-veterano de guerra, Gordon carrega o peso de ter matado muitos homens inocentes e pretende resolver as coisas usando apenas a diplomacia (ou no máximo um ou dois pontapés). Jamais matará um homem por mais que ele mereça. Nós aqui bem sabemos que Gordon é um dos alicerces que fundará a moral do homem morcego e seu papel ao lado de um jovem Bruce na série será fundamental para esta formação.

É difícil dizer quais os rumos que Gotham irá tomar. Com tantos vilões em cena, tantos detalhes escondidos especialmente para os fãs dos quadrinhos, as possibilidades são ilimitadas. A certeza que ficou é que sim, a série se apresentou ágil e inteligente. Rápida em sua apresentação e clara em seus personagens: por mais que na cidade a maioria possua moral dúbia, na série é fácil distinguir os mocinhos dos bandidos, ou mesmo notar aqueles que estão prestes a enlouquecer, e nós continuamos nos sentindo testemunhas de uma história que já sabemos o fim. Quanto tempo vai durar? Só a audiência poderá dizer, mas é fácil perceber que trata-se de um produto de extrema qualidade técnica e artística. Seus personagens são um pouco caricatos? Claro, afinal ainda estamos falando de uma adaptação de quadrinhos. A proposta aqui não é ser realista, pelo menos não demais.

Veja aqui os pôsteres oficiais dos personagens de Gotham

Gotham se passa em um mundo como o nosso, onde o mal pode estar em qualquer canto e nos surpreender no primeiro beco. Resta a nós (e a Jim Gordon) saber diferenciar as coisas. Enquanto isso, nós testemunhamos a luta de um homem só contra todos, apoiando-se em sua moral e ainda tendo que servir de suporte para uma criança ferida enquanto um dos vilões mais conhecidos do universo de Batman ensaia sua ascensão. Onde isso vai dar? A gente bem sabe. mas parece que vai ser sensacional acompanhar este caminho até lá.

Gotham já foi confirmada para a primeira temporada com “pelo menos” 13 episódios, e estreia no Brasil segunda feira que vem, dia 29, no Warner Chanel.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: