Perdido em Marte e 15 filmes com um único ator em cena boa parte do tempo

Este mês estreou nos cinemas a ficção Perdido em Marte, de Ridley Scott, que coloca Matt Damon sozinho em cena durante muito tempo no planeta vermelho.

Para marcar a estreia, o site da Entertainment Weekly fala sobre ele e relembra outros 14 filmes que têm um único ator em cena durante boa parte do filme:

Perdido em Marte – 2015 – Matt Damonthe-martian

Preso em Marte, o personagem de Matt Damon é uma espédie de Robinson Crusoe e mantem um vídeo diário para ajudar nos experimentos de Mr. Wizard (e para manter-se são) em uma versão high tech da bola de vôlei Wilson. Damon lança estes monólogos confessionais sobre termodinâmica, hexadecimais e até Donna Summer de uma maneira que muitos outros atores não conseguiriam e acaba tornando um épico de sobrevivência em algo íntimo e humano.

Leia a resenha do site Mondo Bacana

Livre – 2014 – Reese WitherspoonWild_2_0

Na adaptação das memórias de Cheryl Strayed dirigida por Jean-Marc Vallée, a estrela de Legalmente Loira parte em uma jornada solo catártica pela trilha do Pacífico (Pacific Crest Trail) para resetar a própria vida depois que a morte de sua mãe a lança em uma espiral de decadência e uso de drogas. Existem flashbacks para dias mais felizes com sua mãe (Laura Dern) e Strayed encontra algumas pessoas pelo caminho, mas é Witherspoon quem carrega o fardo. Embora sua personagem cambaleie durante o processo, a atriz já vencedora do Oscar permanece firme: é uma excelente companheira de viagem, ajudando o público a navegar através de sua complexa turbulência emocional até um triunfo pessoal.

Leia a resenha do site Mondo Bacana

Na Natureza Selvagem – 2007 – Emile HirschINTO-THE-WILD

Christopher McCandless era um estudante da Emory University que, após a formatura, abandonou seu nome e sua família, doou sua poupança e partiu com uma mochila nas costas para o Alaska para viver longe de tudo. Na adaptação cinematográfica dirigida por Sean Penn do livro de John Krauker, Emile Hirsch retrata o jovem vagabundo como um idealista. Adorável, determinado e acompanhado por uma fantástica trilha sonora composta por Eddie Vedder, Hirsch entrega uma performance tocante que é ao mesmo tempo inspiradora e de quebrar o coração.

Eu Sou A Lenda – 2007 – Will SmithI-AM-LEGEND

Baseado no livro de Richard Matheson escito em 1954, Eu Sou A Lenda se passa em um mundo pós apocalíptico onde se subentende que a cura para o câncer acabou por transformar as pessoas em zumbis. Mas o personagem de Smith, Robert Neville, é imune a esta cura, o que significa que ele é um dos únicos, senão O único, ser humano restante. Como resultado, ele passa seus dias vagando por uma Nova York abandonada e tentando criar um antídoto. E a noite? Ele tenta não ser comido…

Locke – 2013 – Tom Hardy

Locke (2014) Tom Hardy

Passado em tempo real, o filme do diretor Steven Knight segue Ivan Locke (Tom Hardy) por uma hora e meia de sua vida, enquanto ele deixa o trabalho e tenta chegar ao nascimento de seu filho a tempo. Todo o filme se passa com Hardy em seu carro, fazendo ligações para a mãe de seu filho que está pra nascer, sua esposa, seu chefe e outros. É uma premissa simples, mas não tola: graças ao drama da infidelidade e ao foco da câmera, Hardy brilha em um filme excelente.

Náufrago – 2000 – Tom HanksCASTAWAY

Hanks garantiu uma indicação ao Oscar pela interpretação do funcionário do século da FedEx Chuck Noland, que acaba em uma ilha do Pacífico Sul por anos depois da queda de um avião. Chuck acaba se tornando um verdadeiro homem das cavernas, aprende a fazer fogo, pescar e, aparentemente, a produzir uma tanga. Ele encontra um amigo em Wilson, a agora icônica bola de vôlei com uma carinha desenhada em sangue (é mais bonito do que parece). A parte mais emocionante é, no entanto, quando Chuck é resgatado e descobre que o mundo e a vida cotidiana seguiram seu curso… sem ele.

Gravidade – 2013 – Sandra Bullockgravity-movie-bullock-astronautQuando as coisas dão terrivelmente errado na primeira missão ao espaço da Dra. Ryan Stone, ela de repente se vê sozinha no lugar mais solitário da, bem, da galáxia. Presa no espaço, só lhe resta tentar encontrar o caminho de volta à Terra. É uma premissa assustadora que quando colocada ao lado da estupenda direção de Alfonso Cuarón e da magnífica atuação de Sandra Bullock produziu um filme que levou 10 indicações ao Oscar (e sete prêmios).

Leia nossa resenha

Lunar – 2009 – Sam RockwellCULT-MOON_0

Como Rockwell vai descobrir no filme de estreia do diretor Duncan Jones, a vastidão do espaço é ainda mais solitária quando seu único companheiro é um computador meio quebrado com voz de Kevin Spacey. Ao menos o personagem de Rockwell acha que está sozinho. Para não estragar o segundo ato do filme, é suficiente dizer que se você é fã do carisma silencioso de Rockwell, ficará duplamente feliz com o que acontece depois de algum tempo de filme.

As Aventuras de Pi – 2013 – Suraj SharmaCena-do-filme-As-Aventuras-de-Pi--size-620

Adaptado pelo diretor Ang Lee do livro de 2001 de Yann Martel, As Aventuras de Pi não é apenas a história de um adolescente chamado Pi e sua sobrevivência como único ser humano restante de um naufrágio em alto mar. É também um dos melhores filmes dos últimos anos. Pi não está totalmente sozinho em seu bote. Como companhia ele tem um tigre de bengala chamado Richard Parker. Gravado em 3D, o tigre extremamente realista gerado por computação gráfica e as imagens surreais da vastidão azul do Pacífico são deslumbrantes. E além de toda sua beleza existe uma profunda mensagem sobre a natureza e a necessidade da fé.

Leia nossa resenha

Encurralado – 1971 – Dennis WeaverDUEL

Steven Spielberg ainda tinha somente curtas metragens, um filme de faculdade e uns poucos episódios de TV na carreira quando estreou como diretor de longas metragens com Encurralado, um filme para TV baseado numa história de Richard Matheson. E 24 anos. A história segue David Mann (Denis Weaver), que se vê preso em um intenso duelo com um misterioso motorista de caminhão cujo rosto nunca é mostrado. Embora a performance de Weaver seja poderosa, é a direção que realmente faz de Encurralado uma obra-prima, e o que ajudou o filme a ganhar um lançamento nos cinemas.

Até o Fim – 2013 – Robert RedfordAll-is-Lost_0

Somente depois que Até o Fim chegou aos cinemas é que se descobriu que o filme praticamente não tinha diálogos, já que o personagem de Redford raramente diz alguma coisa nas duas horas que permanece sozinho em cena. Mas isto não faz dele um filme ruim: Redford luta para sobreviver depois que vários obstáculos estragam seu barco usando sua expressão facial e os movimentos de seu corpo para ilustrar sua determinação e, eventualmente, sua deterioração emocional.

Leia a resenha do site Mondo Bacana

A Honra Secreta – 1984 – Phillip Baker HallSECRET-HONOR

Como você vende um filme que é basicamente um monólogo? Simplesmente adicione a ele o diretor Robert Altman, um ator veterano que raramente foi protagonista e um tema fascinante: Richard Nixon bêbado, sozinho e explodindo contra o Watergate e a verdade sobre a morte de Marylin Monroe (de acordo com ele, ela foi morta pela CIA). A performance de Hall é impressionante e faz com que o filme tivesse duas horas de duração ao invés de 90 minutos.

Tracks – 2014 – Mia WasikowskaTracks_1

Baseado em uma história real, Tracks conta a história de Robyn Davidson enquanto ela anda pelo deserto da Austrália com alguns camelos, um cachorro e pouca coisa mais. Embora de quando em quando ela se encontre com um fotógrafo da National Geographic (Adam Driver), Robyn passa a maior parte do tempo na mais completa solidão e silêncio. Mesmo sem muito diálogo, a performance de Wasikowska é cativante e um de seus melhores papéis até agora.

Enterrado Vivo – 2010 – Ryan ReynoldsBURIED

Este thriller angustiante começa com um pesadelo: Paul Conroy (Reynolds) acorda preso dentro de um caixão de madeira com somente um isqueiro Zippo e um BlackBerry como companhia. A pior parte? Ele não está sonhando. Uma voz no telefone informa que ele vai ser deixado para morrer a não ser que consiga com que alguém lá fora pague um resgate de $5 milhões de dólares. É o tipo de história claustrofóbica que pede uma performance intensa e Reynolds cumpre mais do que bem o desafio, provando em 95 minutos que é mais do que um rostinho bonito feito para comédias.

127 Horas – 2010 – James Franco

The film '127 Hours' is nominated for an oscar for music, original score. '127 Hours' is also nominated for, best picture; Best Actor in a Leading Role, JAMES FRANCO; Film Editing; and Writing (Adapted Screenplay). RELEASE DATE: November 5, 2010. MOVIE TITLE: 127 Hours. STUDIO: Fox Searchlight Pictures. PLOT: A mountain climber becomes trapped under a boulder while canyoneering alone near Moab, Utah and resorts to desperate measures in order to survive. PICTURED: JAMES FRANCO as Aron Ralston.

Muito do burburinho em volta do filme foi por causa de seus momentos finais, mas o retrato de James Franco do alpinista Aron Ralston lutando para sobreviver depois de machucar o braço e ficar preso em um cânion é angustiante como um todo. Isso se deve parcialmente porque sabemos o que está pra acontecer: o personagem real dessa história conseguiu sobreviver porque serrou fora parte de seu braço com uma faca de bolso para poder se libertar. A interpretação de Franco beira o insustentável em sua desesperada tentativa de sobreviver e quando o momento final aparece em cena é quase convincente demais para se assistir.

Leia a resenha do site Mondo Bacana

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s