Resenha do site: A Chegada

poster-a-chegadaA partir de agora, todas as listas de “filmes com alienígenas” que se prezem passarão a ter entre seus títulos A Chegada. Não que o incrível filme do diretor Dennis Villeneuve se resuma a “filme de ET”, ele vai muito além disso. Mas sim, os extraterrestres são uma parte fundamental da história.

Muito mais que uma ficção científica sobre invasão da Terra, A Chegada é um filme pessoal, um filme sobre uma mulher inserida naquele momento e como isso irá mudar sua vida para sempre. E aqui chegamos ao maior ponto forte do longa: Amy Adams. Esta atriz espetacular que não tem medo de se entregar despida de glamour ou de brilhos a uma personagem essencialmente íntima. Sua Dra. Louise Banks é tão extraordinária quanto os monstrengos de outro planeta com quem interage.

Para se explicar a história (ainda que resumida e superficialmente): um belo dia, 12 naves espaciais em formato de concha aparecem em diversos lugares da Terra, entre eles Venezuela, Rússia, China e, claro, Estados Unidos, países de línguas e culturas diferentes. As naves que parecem flutuar no ar não demonstram qualquer interação, comunicação ou interferência e ficam ali, paradas esperando que nós, seres humanos, façamos alguma coisa. Entre uma ou outra tática, o governo norte-americano coloca a linguista Louise Banks e o físico Ian Donnelly (Jeremy Renner) para tentar interagir com aquelas criaturas que devem ser, obviamente, potencialmente perigosas.

A Chegada parece então ser um filme sobre o poder e as dificuldades de comunicação. Se os cientistas têm suas dificuldades para se comunicar com os alienígenas em inglês e entender sua língua, o governo e o exército tentam se entender em russo, espanhol e chinês enquanto tentam trabalhar em conjunto numa tarefa que parece mais difícil que se comunicar com seres de outro planeta.

Mas assim como rotular o filme de “filme de ET”, chamá-lo de um filme sobre linguagem é minimalizar o poder  perturbador que há em seu conteúdo. A Chegada é um filme lento, de ritmo próprio, que agradará a uma pequena parcela de público. Isso é verdade. Porém, é também um dos melhores filmes do ano. Daqueles filmes que, quando acaba, inevitavelmente você estará na ponta da poltrona de boca aberta se perguntando: será que eu faria a mesma coisa?

Anúncios

4 pensamentos sobre “Resenha do site: A Chegada

  1. Pingback: Corrida do Oscar 2017 – La La Land e A Chegada lideram indicações ao Chritics Choice 2016 | pausa dramática

  2. Pingback: Os 15 filmes mais bacanas de 2016 | pausa dramática

  3. Pingback: La La Land iguala marca de A Malvada e Titanic com 14 indicações ao Oscar 2017. Veja a lista completa dos indicados – Pausa Dramática

  4. Pingback: Resumão Oscar 2017 – nossas rápidas impressões sobre alguns dos indicados – Pausa Dramática

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s