Resenha do site – Planeta dos Macacos: A Guerra

planeta dos macacos posterSeis anos atrás fomos apresentados à história de Cesar em Planeta dos Macacos: A Origem. Nela, um macaco de laboratório depois de ser  instrumento de um teste para uma vacina contra o Alzheimer, desenvolvia uma super inteligência e criava um vírus que dizimaria a humanidade.

Em 2014, esta história ganhou seu segundo capítulo com Planeta dos Macacos: O Confronto, onde víamos Cesar assumir um verdadeiro exército símio para lutar contra os humanos que ainda restaram e que pretendiam exterminar os macacos da Terra. Aqui Cesar ainda encontrava alguns humanos dispostos a defendê-lo e ajudá-lo.

Agora chega a vez do capítulo final: Planeta dos Macacos: A Guerra. Em tudo mais grandioso que seus já excelentes antecessores, este terceiro longa completa a história de Cesar de maneira épica e emocionante. E a humanidade já não parece mais tão amigável.

Desta vez, já encontramos os macacos estruturados em uma quase-civilização, mas ainda perseguidos pelo homem. Em especial pelo exército comandado pelo “Coronel”, um obcecado militar que tem como único objetivo de vida exterminar os macacos do planeta antes que eles exterminem por completo a raça humana.

Sim, mais uma vez, já sabemos como estas lutas vão terminar. Mas como nos ensinou o diretor Matt Reeves já em 2011, não é o final da jornada que importa. Ao vermos em cena a ascensão de Cesar, somos capazes de testemunhar um pouco da história do cinema sendo (re)escrita. Se em 1968 encontrávamos Charlton Heston já em uma Terra tomada pelos símios, agora vemos como o planeta chegou naquele estágio.

Repetindo seu estupendo trabalho, Andy Serkins mais uma vez empresa movimentos e voz a Cesar. As cenas com inúmeros “animais” são absolutamente incríveis. E é preciso frisar que não existe um único macaco real em cena, são todos construídos digitalmente com a técnica de captação de movimentos, aprimorada pelo próprio Serkins. Os desafios técnicos são cada vez maiores e aguardamos ansiosamente as regras do Oscar mudando para que trabalhos fenomenais como o de Serkins possam ser indicados na categoria de melhor ator.

Leia mais: Cesar e os personagens digitais mais marcantes do cinema moderno

Leia nossa resenha de Planeta dos Macacos: O Confronto

Se A Origem falava sobre sobrevivência dos humanos e O Confronto sobre ambos os lados lutando por esta mesma sobrevivência, Planeta dos Macacos: A Guerra toca em questões muito mais humanas (por assim dizer): família, refúgio e, principalmente, lealdade. Não dá pra contar muito para não estragar as diversas surpresas do filme, mas entre um humano e outro e entre macacos que trocaram de lado, a relação de Cesar com Maurice (que conhecemos desde o primeiro filme), o “Macaco Mau” (que de mau não tem nada, interpretado em um tom pronto para virar clássico por Steve Zahn – esteja pronto para se apaixonar por ele) e a pequena Nova, vai mexer com o coração de muita gente e provar que família pode ter as mais diversas configurações.

Assim como no filme anterior, muito da força deste longa está em seu antagonista. Se lá tínhamos o incrível Gary Oldman, aqui as armas estão nas mãos do não menos incrível Woody Harrelson que com seus costumeiros trejeitos dá vida ao temido Coronel.

Sabemos que A Guerra é o final da saga de Cesar, no entanto o diretor já se pronunciou dizendo que não será o último filme. Para Reeves ainda há muito a ser contado até que cheguemos no ponto onde o filme de 1968 começa. E não, uma certa estátua ainda não cairá, se é isso que você está esperando.

Emocionante, épico, impressionante, grandioso, visceral. Faltam adjetivos para definir Planeta dos Macacos: A Guerra, que fecha com chave de ouro aquela que, com certeza, será uma das trilogias mais marcantes dos anos 2010. Palmas para Reeves que conseguiu manter a qualidade num crescendo em todos os filmes. Palmas para Serkins, sempre impecável. E palmas para o cinema, que vez ou outra consegue nos presentear com obras primas desta magnitude. Filmes em que conseguimos chorar, rir, torcer, temer e nos identificar, ainda que não com quem estejamos esperando.

Veja os bastidores do filme:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s