Resenha do site – Malasartes e o Duelo com a Morte

malasartes posterVez ou outra o cinema brasileiro nos presenteia com obras de puro lirismo. Lisbela e o Prisioneiro, O PalhaçoA Máquina, Tapete Vermelho Cine Holliúdy são algumas destes filmes que encantam os olhos e o espírito.

Eis que mais uma vez este objetivo consegue ser alcançado com Malasartes e o Duelo com a Morte, que estreia hoje nos cinemas. Trazendo de volta um personagem bem conhecido da cultura popular brasileira, já interpretado por Mazaropi décadas atrás, o longa com direção e roteiro de Paulo Morelli consegue encantar o público mesmo com algumas irregularidades.

Pedro Malasartes é um caipira sabichão que adora passar a perna em quem pode. Preguiçoso, não gosta de trabalhar e vive fugindo de compromissos mais sérios, levando a vida com seus golpes e esquemas. Muito como Macunaíma e Zé Carioca, outros dois anti-heróis bem tipicamente brasileiros. O personagem tem origem desconhecida e faz parte da cultura e do folclore de diversos países da América Latina e inclusive de Portugal. E desta vez ganha o rosto do jovem Jesuíta Barbosa.

Conhecido do público por seus trabalhos em minisséries da Rede Globo e em longas como Tatuagem e Praia do Futuro, o ator faz um trabalho incrível no papel do protagonista. Com olhos grandes e expressivos, Jesuíta consegue mostrar toda a esperteza de seu personagem e seus conflitos internos sem falar nada. Isis Valverde no papel da mocinha é de um brilho só. É quase sobrenatural o modo como ela consegue iluminar a tela só com sua presença.

Na história do longa, a Morte (interpretada por Júlio Andrade, no ar na série Sob Pressão), tenta enganar Pedro Malasartes e fazer com que ele fique em seu lugar. Como muito bem diz a frase de efeito do filme, Será que o mais esperto dos homens conseguirá também enganar a morte?

Cheio de efeitos especiais e com um humor ingênuo e inocente, quase infantil, Malasartes e o Duelo com a Morte traz ao espírito o clima das matinês de antigamente, com um ritmo ágil, personagens cativantes e situações absurdas. Ah sim, e os efeitos especiais (que formam cerca de 50 minutos do total do filme) não deixam nada a desejar para superproduções de Hollywood.

Claro que o longa também tem seus problemas. Como o personagem de Leandro Hassum, uma cópia do mesmo que ele sempre interpreta, com suas piadas de peça de colégio. Ou algumas situações que parecem resolvidas às pressas.

Mas isso não tira o encantamento. Malasartes merece uma série de filmes. Como uma criança grande demais, Jesuíta Barbosa faz o que quer com o personagem e consegue fazer com que nós torçamos por ele, ainda que a gente do lado de cá saiba que muitas vezes ele não está agindo honestamente. Um típico malandro brasileiro que, com as expressões e o talento descomunal do ator ganha alma num filme pra gente se deixar levar, deixar o riso correr solto sem ter a inteligência ofendida e se encantar com cenas de pura poesia visual.

*Ao contrário do que sempre fazemos, hoje não iremos publicar o trailer do filme. Muitas das melhores piadas do longa estão expostas ali, o que acaba tirando boa parte da graça. Faça como nós, vá ao cinema sem conhecer e sem expectativas. É certo que você irá se surpreender.

malasartes2malasartes1

malasartes-e-o-duelo-com-a-morte-800x526

Anúncios

2 pensamentos sobre “Resenha do site – Malasartes e o Duelo com a Morte

  1. Pingback: Bingo, Elis e Malasartes entre os pré-selecionados brasileiros para uma vaga no Oscar 2018 – Pausa Dramática

  2. Pingback: Segunda feira (dia 13) é dia de cinema nacional no Cinemark a R$4,00 |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s