Johnny Hooker e Liniker se unem em clipe contra homofobia

Johnny Hooker deu um presente de Natal aos fãs na noite deste domingo, 24. O artista pernambucano lançou o clipe de “Flutua”, parceria com a cantora Liniker. Dirigido por Ricardo Spencer, o vídeo conta uma história de amor entre dois homens que precisam lidar com a homofobia em uma metrópole brasileira.

johnny hooker liniker.jpg
Liniker, o diretor Ricardo Spencer e Johnny Hooker

O curta de mais de sete minutos conta com a participação do ator pernambucano radicado em Fortaleza Jesuíta Barbosa e Maurício Destri. O filme foi escrito pelo cineasta Daniel Ribeiro, diretor do longa “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” em parceria com Hooker e mostra o romance entre dois homens que se conhecem em uma festa. Logo depois um deles é agredido, mostrando a homofobia que ainda está em nossa sociedade, e recusa o relacionamento. Os dois conversam em linguagem de sinais, o que pode demonstrar que um deles (ou ambos) sejam surdos.

Lançado em julho deste ano, “Flutua” é o primeiro single do álbum Coração, segundo disco solo de Hooker. A música teve mais de um milhão de visualizações no YouTube e foi um dos destaques do Rock in Rio, com direito a beijo entre Hooker e Liniker, que se repete no vídeo.  “Baby, eu já cansei de me esconder/ Entre olhares, sussurros com você/ Somos dois homens e nada mais“, reclama Hooker, na primeira estrofe da letra assinada por ele.

jesuita mauricio flutua

Tem uma questão muito importante dentro da história, que é a coisa inclusiva. Fala desses namoros quase impossíveis e essa violência com que a gente tem que lidar o tempo todo. da sociedade em cima do homossexual, todo tipo de preconceito que a gente tem que enfrentar. Quando a gente alia isso também a uma questão física, acho que a gente ganha ainda mais força, por representar um lugar do social que, na maioria das vezes, a gente não trabalha. A gente não sabe lidar muito bem com a coisa“, defende Jesuíta.

As cenas de violência são apresentadas sem música. O silêncio intensifica a mensagem e a agressividade da homofobia, materializada nos alarmantes índices de homicídios, no país onde mais pessoas travestis e transexuais são mortos no mundo, de acordo com a Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros e Intersexuais  – em 2016, foram 347 mortes.

beijo hooker liniker

Jesuíta Barbosa foi um dos destaques deste ano, estrelando o longa Malasartes e o Duelo com a Morte, ao lado de Isis Valverde. O ator já se admitiu bissexual e disse que não gosta de falar sobre sua vida particular. “A intimidade de cada um não precisa ser colocada à tona”, disse ele em uma entrevista à Veja. Barbosa nunca chegou a falar com a imprensa sobre questões familiares ou sobre com quem se relaciona, e prefere não se rotular como gay ou hétero, mas se auto-afirmar uma pessoa livre de quaisquer bloqueios.

Veja nossa lista dos filmes mais bacanas de 2017

Tem pessoas que colocam a vida pessoal em função de algo e eu acho isso muito bonito, mas falar da minha família ou com quem eu estou, não. Sou livre e fico com quem eu quiser – sejam homens ou mulheres. Prefiro não me bloquear. A ideia de sexualidade é um pouco deturpada. Sou um ser humano que pode acessar diversos lugares. Há artistas como (a cantora) MC Linn da Quebrada que trazem um rompimento do padrão estabelecido de sexualidade. Não é gay, não é hétero. É um ser humano”, finaliza ele.

Assista ao clipe abaixo:

miramar-banner-gif

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s