Academia muda regras para concorrentes ao Oscar de melhor filme para estimular diversidade e representatividade

Ontem a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood anunciou uma série de novas regras para estimular a diversidade e a representatividade.

A partir de 2022, os filmes que quiserem concorrer a uma vaga na categoria de melhor filme deverão preencher um formulário de “inclusão”, mas preencher os requisitos não será obrigatório até dois anos depois, em 2024, quando os candidatos deverão obrigatoriamente preencher pelo menos duas das quatro categorias solicitadas.

Claro que já teve gente reclamando (na maioria homens brancos, heterossexuais e norteamericanos, que nunca tiveram problemas em se ver representados na tela), mas é interessante notar que pelo menos os 4 últimos vencedores do Oscar de melhor filme se encaixam nestas regras mesmo antes delas serem criadas: Parasita, Moonlight, Green Book e a Forma da Água. Todos eles trazem grupos minoritários subrepresentados em sua equipe, história, elenco e temática.

Veja abaixo um resumo das novas regras e categorias (para ver as regras completas clique aqui):

Categoria A: Representação em cena, temas e narrativas

Para preencher esta categoria o filme deve respeitar ao menos UM dos critérios abaixo:

A1- Atores principais ou coadjuvantes relevantes: ao menos um deve ser de um grupo racial ou étnico subrepresentado:

  • Asiático
  • Hispânico/Latino
  • Negro
  • Indígena/Nativo americano
  • Do Oriente Médio ou Norteafricano
  • Havaiano ou nativo de alguma ilha do Pacífico
  • Outra raça ou etnia subrepresentada

A2- Elenco geral: pelo menos 30% do elenco geral e personagens menores devem ser de pelo menos dois dos grupos abaixo:

  • Mulheres
  • Grupo racial ou étnico
  • LGBTQ
  • Pessoas com deficiência

A3- Temas: a história principal ou o tema do filme deve ser centrado em um grupo subrepresentado, como:

  • Mulheres
  • Grupos raciais ou étnicos
  • LGBTQ
  • Pessoas com deficiência

De forma geral, estas mesmas regras valem em outras 3 categorias:

Categoria B: Lideranças criativas e projetos

As pessoas envolvidas na criação e no projeto deverão respeitar basicamente as mesmas definições da categoria A, incluindo diretor de elenco, cinematografista, compositor, figurinista, diretor, editor, cabeleireiro, maquiadores, designer de produção, decorador, editores e supervisores de som e roteirista.

Categoria C: Acesso e oportunidades

os estúdios maiores e distribuidores devem parcerias e investimentos inclusivos em grupos subrepresentados na maioria dos seguintes departamentos: produção e desenvolvimento, produção física, pós-produção, música, efeitos visuais, compras, distribuição, marketing e publicidade.

Os estúdios e distribuidores menores e independentes devem ter um mínimo de dois aprendizes/estagiários dos grupos listados no item A em ao menos um dos departamentos a seguir: produção e desenvolvimento, produção física, pós-produção, música, efeitos visuais, compras, distribuição, marketing e publicidade.

A produção, distribuição e/ou financiamento do filme devem oferecer oportunidades de trabalho e estágio para um dos grupos listados no item A3.

Categoria D: Audiência e público

O estúdio e distribuidor deve ter em sua equipe de marketing, publicidade e/ou distribuição integrantes dos grupos subrepresentados listados acima.

Todas as demais categorias permanecem com seus atuais critérios de elegibilidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: