Resenha do site – Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore

Terceiro capítulo da saga se torna mais político e adulto com embate poderoso

Faz quatro anos desde que o último longa da saga Animais Fantásticos chegou ao cinema. Muitas polêmicas depois, finalmente chegou a hora de conferirmos Os Segredos de Dumbledore.

E o filme chega prontinho para agradar aos fãs da saga do bruxo mais famoso das telonas. Desta vez, Newt Scamander e seus parceiros serão separados: para que o plano funcione, ninguém pode saber dele por completo. E a história toma ares políticos com uma eleição do conselho bruxo.

A maior parte deste terceiro filme se passa em Berlin (triste notícia para os fãs brasileiros que esperavam a história no Rio de Janeiro) e, talvez por isso mesmo, pareça ter um peso histórico ainda maior, por conta de tudo o que aconteceu na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial. Grindelwald tem sede de poder, quer livrar o mundo dos trouxas (em uma referência óbvia ao nazismo) e Newt e Dumbledore se veem obrigados a intervir.

Novos personagens, novos animais, ótimas cenas em Hogwarts e muita emoção dão o tom deste terceiro filme. Mads Mikelsen toma o lugar de Johnny Depp como Grindelwald de maneira eficiente e talvez um pouco mais amedrontadora. E agora conhecemos um pouco mais da relação entre ele e Dumbledore.

LEIA MAIS

10 conexões entre Animais Fantásticos e Harry Potter

30 papeis de parede de Harry Potter e Newt Scamander para seu celular

5 franquias que você vai encontrar no HBO Max

Resenha do site – Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald

Resenha do site – Animais Fantásticos e Onde Habitam

Embora o longa não aconteça no Rio de Janeiro (a cidade aparece por uns 2 segundos no filme), o Brasil tem uma importância fundamental: Vicência Santos (interpretada por Maria Fernanda Cândido) é uma das candidatas à presidência do Conselho Bruxo e, mesmo com apenas duas ou três falas, será indispensável para a história.

Claro que as cenas de humor (e a aparente indispensável dancinha de Newt) estão lá. Nem sempre necessárias ou relevantes. E, ainda que as emoções sejam intensas e o final até mesmo um pouco triste, o longa parece deixar escapar uma faísca, um toque de varinha mágica, e não nos deixa completamente satisfeitos. Ficamos com a sensação de que faltou alguma coisa.

De resto, temos o que se pode esperar de um capítulo do meio de uma saga: uma história que vem de algo que já começou (aliás é bem recomendável que você assista aos dois filmes anteriores antes de ir ao cinema, disponíveis no HBO Max) e prepara o terreno para algo maior. Mas aqui conseguimos ver as engrenagens da política funcionando, a manipulação e o desejo de poder. Algo que vimos muitas vezes na História da humanidade e que, por isso mesmo, nos aproxima um pouco mais desta história de fantasia.

*O Pausa Dramática é um site independente sem vínculos ou patrocínios. Nos ajude a permanecer no ar: compartilhe este post em suas redes e siga nossos perfis no InstagramFacebook e Twitter.

FAÇA PARTE DO GRUPO DO WHATS DO PAUSA DRAMÁTICA E RECEBA DICAS E CONTEÚDO DIRETO NO SEU CELULAR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: