De Sidney à Emma. De Woodsboro a Lakewood. Revisitando ‘Pânico’

Esta semana chegou ao fim nos EUA a primeira temporada de Scream, a série inspirada nos filmes Pânico transmitida pela MTV americana e o público finalmente descobriu quem era o assassino mascarado que aterrorizava a vida de Emma e seus amigos em Lakewood. Nada mais natural então que revisitar os quatro filmes que deram origem à série, também como uma homenagem ao seu criador Wes Craven, falecido esta semana.

Sem sombra de dúvidas, Craven foi o mestre dos slasher movies e, não é errado dizer que ele até mesmo escreveu as regras desses filmes. Bom, tecnicamente quem escreveu as regras foi o roteirista Kevin Williamson, mas certamente elas vieram da cabeça de Craven e foi ele quem inspirou alguns dos melhores gritos e pesadelos do cinema. Seu legado viverá além dos seus filmes e cineastas de hoje e do futuro serão inspirados por seus trabalhos.

drew

Até hoje, Pânico, permanece como um dos ícones do cinema de terror. Na história, acompanhamos Sidney Prescott (Neve Campbell), que vive na cidade de Woodsboro um ano depois que sua mãe foi brutalmente estuprada e assassinada. Dois de seus amigos de classe foram assassinados e ela está sendo aterrorizada por um assassino mascarado chamado de Ghostface. Com a ajuda da repórter Gale Weathers (Courtney Cox) ,do xerife Dewey (David Arquette) e de seus amigos apaixonados por filmes de terror, Sidney espera fazer o que sua mãe não conseguiu: sobreviver.

panico1PÂNICO

Quando Pânico estreou em 1996, os filmes de terror estavam estagnados em um mercado de sequências ruins lançadas diretamente em vídeo. O primeiro filme da série inovou já ao matar a atriz mais famosa de seu elenco logo na sequência de abertura. Também escalou caras conhecidas do público para o elenco, ao invés de nomes desconhecidos como vinham fazendo as produções anteriores. Levou o fator gore até onde o estúdio permitiu e encabeçou a história com uma heroína lutadora e valente. E, claro, satirizou a si mesmo colocando humor dentro do terror. De fato, as regras auto-referentes de Randy e o final imprevisível e cheio de reviravoltas são exemplos perfeitos dos motivos que colocam a mistura entre risos e gritos como a razão principal pela qual Pânico se tornou um clássico instantâneo.

panico 2PÂNICO 2

Considerando que a morte dos filmes de terror foi declarada pelas más sequências, não poderia passar despercebido o fato de que o filme que reinventou o gênero passaria pela mesma prova. Felizmente para os fãs, o segundo filme foi tão audacioso em ser uma sequência como foi em distorcer os fatos dentro de si mesmo da mesma forma que o primeiro desconstruiu as regras dos filmes de terror. Com Stab, o filme dentro do filme, Pânico 2 conseguiu causar ainda mais gritos enquanto ainda conseguia surpreender os fãs que achavam ter aprendido todas as regras no longa anterior e achavam que podiam antecipar as mortes e sustos.

panico3PÂNICO 3

Foi o terceiro filme que quase sepultou a franquia enquanto Craven brigava contra as restrições do estúdio. Foi também o primeiro filme da franquia não escrito por Wililamson, assumido por Ehren Kruger, que acabou usando muitas das ideias do roteirista anterior. Ao mesmo tempo, o estúdio pedia que Craven aumentasse o humor e diminuísse o terror, por conta dos ataques reais à Columbine. Para evitar qualquer referência de violência extrema do filme e compará-lo aos crimes reais, o estúdio chegou a exigir que o filme tivesse nada de sangue e violência na tela e apesar de Craven ter conseguido fazer sua vontade valer em alguns pontos, o filme sofreu com inúmeras escolhas equivocadas.

P_nico_4PÂNICO 4

Dez anos depois, Williamson e Craven se reuniram para reassumir as rédeas da franquia com um mix de membros originais do elenco e de novas caras. O longa voltou à suas raízes sangrentas com a adição das mídias sociais e novos gadgets. Apesar do update de modernidade e de ser melhor que o criticado terceiro filme, os críticos em geral não ficaram muito surpresos com o novo longa e pareceram decretar a morte da franquia.

 

scream seriesSCREAM

Quatro anos depois do quarto filme, a franquia assume um novo formato, virando série de TV. Dispostos em 10 episódios transmitidos pela MTV americana, Scream referenciou os filmes constantemente, produzindo a mistura de gritos e risos característica dos longas. Produzida por Craven (que admitia não ter feito mais do que ter colocado seu nome nos créditos) a série seguia a vida de Emma Duval (Willa Fitzgerald) e o passado sombrio de sua mãe. Assim como nos filmes, a mãe de Emma guarda um segredo que voltará para aterrorizar a todos na forma de um assassino mascarado. Respeitando o clima e as regras dos filmes Scream foi sucesso garantido e já teve sua segunda temporada confirmada pela MTV. É provável que a série estreie no Netflix Brasil ainda este ano.

VEJA NOSSAS PRIMEIRAS IMPRESSÕES DA SÉRIE

 

 

Anúncios

Um pensamento sobre “De Sidney à Emma. De Woodsboro a Lakewood. Revisitando ‘Pânico’

  1. Pingback: 20 curiosidades para celebrar 20 anos de Pânico | pausa dramática

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s