Os X-Men e a metáfora da discriminação e da cura gay

XMEN-CURA-GAY

Em 2006, quando X-Men: O Confronto Final estreou nos cinemas, a mensagem principal da saga dos mutantes ficou absolutamente clara, até mesmo para quem se recusava a ver: tratava-se de uma história sobre discriminação.

Ao se propor uma “cura” para o gene mutante, o filme levava muito mais a sério tudo o que se tinha dito em qualquer filme de super-herói antes dele. Estava ali com todas as letras a mensagem da cura para o diferente. Claro que em tempos de liberdade e (ao mesmo tempo) discriminação contra a população LGBT esse subtexto atingiu em cheio a esta parcela da população. E não por acaso.

Personagens se questionavam por que “tinham nascido daquele jeito”, porque eram tratados de forma discriminatória só por serem diferentes e  até mesmo se propunham a serem “curados” para se tornarem pessoas “normais”. Não é tão difícil ligar os pontos, vai.

Em uma cena, um discurso certeiro do personagem Magneto (Ian McKellen) chega ao ponto exato. Principalmente em momentos como o que estamos vivendo quando a dita “cura gay” parece ter voltado à pauta, mas de forma voluntária. Oras, diz Magneto, a cura sempre é voluntária. Ninguém nunca fala em extermínio. Até que seja tarde demais e você percebe que o extermínio já começou. Magneto sabe o que diz já que é, ele mesmo, um sobrevivente de outro extermínio em massa: o holocausto.

Mas você pode continuar vendo os X-Men apenas como uma historinha de super-herói como outras tantas e achar que nada tem a ver com você. Você pode achar que jamais será taxado de diferente, por qualquer motivo. Você pode achar que eu estou exagerando ao dizer que um filme que fala sobre um grupo de pessoas diferentes sofrendo preconceito e sendo atacadas somente pelo fato de serem diferentes e dirigido por um homossexual assumido fale diretamente à população LGBT. Tudo bem. É um direito seu. Afinal, o pior cego é aquele que não quer ver, não é mesmo?

Atualmente o preconceito e a discriminação vêm tomando proporções fora de controle. E diversas produções estão pegando pesado neste ponto, como a sétima temporada de American Horror Story e, não por acaso, The Gifted, série derivada de X-Men que fala tão claramente quanto O Confronto Final sobre a perseguição ao diferente.

Antes de tirar suas conclusões, apenas assista ao vídeo abaixo, que editamos com cenas de X-Men: O Confronto Final, uma reportagem do Jornal Nacional e cenas dos seriados The Gifted e Will & Grace.

Anúncios

Um comentário em “Os X-Men e a metáfora da discriminação e da cura gay

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: