Resenha do site – Elis

poster-elisQuando as luzes se acendem no cinema após o final de Elis, nós do lado de cá ficamos com várias certezas. A maior delas talvez seja a de que a vida de Elis Regina foi muito grande para caber em um filme de menos de duas horas. Talvez um seriado ou mesmo uma novela fossem suficientes para contar a história da maior cantora do Brasil. Ou nem isso.

Nascida em Porto Alegre, Elis foi para o Rio de Janeiro com o pai tentar a carreira de cantora no início da década de 60 e é aí que o filme começa. Elis é sonhadora e delicada, mas já demonstra o ar intempestivo que lhe renderia o apelido de Pimentinha dado por Vinícius de Moraes. Logo ela é descoberta por Carlos Miele e Ronaldo Bôscoli. Não demora e ela estoura em todo o país.

A história de Elis Regina é conhecida e recente. De sua ascensão à sua morte foram 20 anos, dois casamentos, casos, filhos, brigas políticas e arrombos de humor.

Figura por si só cheia de tiques e características, a cantora é incorporada com perfeição sobrenatural por Andreia Horta. Dos trejeitos à gargalhada, a atriz não interpreta Elis, ela É Elis em cena de forma assustadora. Acreditamos estar vendo ali a mulher que foi ícone para muita gente.

De sua descoberta, passando pelos programas de TV ao lado de Jair Rodrigues, os casamentos com Bôscoli e Cesar Camargo Mariano, os três filhos e a briga com a ditadura e o cartunista Henfil até sua morte, a vida de Elis não carece de acontecimentos marcantes a serem contados em um filme. E aí justamente mora o defeito de Elis, o longa: suprimir ou diminuir certos momentos em detrimento de outros que para muitos podem parecer nem tão importantes, como as recorrentes brigas com Ronaldo Bôscoli.

A história do filme parece se atropelar e tudo parece acontecer rápido demais enquanto temos a sensação de que perdemos alguma coisa no caminho. Em uma cena Elis está conversando com um produtor e na outra já está ganhando um prêmio. Pode ser, claro, que as escolhas tenham sido feitas em nome da dramaturgia e para fugir dos lugares-comuns de certas outras que seriam esperadas. Mas ver a parceria da cantora com Tom e Vinícius resumida a três acordes no piano não deixa de ser um tanto frustrante.

É interessante ainda a gente pensar como uma cantora de temperamento tão forte se posicionava diante dos acontecimentos da época. Em um show de Nara Leão, Elis se espantou com o que ela considerava a falta de voz da cantora e perguntou “É essa a coqueluche do momento?”. Em outra cena escancara que as gravadoras pouco se preocupavam com qualidade, queriam era coisas que vendessem. É de se perguntar o que Elis diria hoje diante do atual mercado fonográfico.

Claro que contar a história de Elis Regina é também contar a história da música brasileira e da MPB. Ao seu lado, Nelson Motta despontou como um dos maiores produtores do país. Junto com Elis surgiram nomes como Gal, Milton e Vanderléia com a Jovem Guarda. Esquentada e explosiva, Elis Regina era maior do que ela mesma e acabou mesmo explodindo.

Apesar do final chocante, o filme consegue demonstrar o poder incrível de duas mulheres e nos deixar com esta certeza principal em mente. A de que Elis Regina era sim uma das mulheres mais importantes da música brasileira e continua sendo. E a de que Andreia Horta é uma atriz magnífica e que sua incorporação da cantora é uma das melhores interpretações que o cinema brasileiro já viu.

Anúncios

3 pensamentos sobre “Resenha do site – Elis

  1. Pingback: Os 15 filmes mais bacanas de 2016 | pausa dramática

  2. Pingback: ‘Elis’ abre festival de cinema de Punta del Este – Pausa Dramática

  3. Pingback: Bingo, Elis e Malasartes entre os pré-selecionados brasileiros para uma vaga no Oscar 2018 – Pausa Dramática

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s