Veja o primeiro trailer de ‘Rebecca’ da Netflix e 5 motivos pelos quais é ridículo reclamar do remake

Hoje a Netflix divulgou o primeiro trailer do remake de Rebecca, que estreia no mês que vem na plataforma e traz Lily James, Armie Hammer e Kristin Scott Thomas no elenco.

Quando o filme foi anunciado, teve gente que torceu o nariz, por se tratar de um remake de uma história vencedora de Oscar, de um clássico, do único filme de Hitchcock a vencer o Oscar de melhor filme e todo aquele blá-bla-blá purista.

Mas vamos pensar: por que é ridículo reclamar do remake 80 anos depois do lançamento de seu original?

Assim como foi absurdo reclamar do remake de Ben-Hur em 2016, novamente é risível em pleno 2020 reclamar da refilmagem de um longa lançado em 1940.

O filme original, estrelado por Laurence Olivier e Joan Fontaine é um clássico? Sim, isso é indiscutível. Se você é realmente fã de cinema precisa assisti-lo (aliás, se você não tiver o filme em casa, somente a plataforma Looke tem ele disponível). Agora venha para o mundo real.

Assista ao trailer e logo abaixo te apresentarei 5 motivos pelos quais é ridículo reclamar do remake de Rebecca:

1

Você, que é uma pessoa comum que gosta de cinema pra se entreter, que não é crítico ou especializado no assunto, responda: quantos anos tem o filme mais antigo que você viu este ano? E nos últimos 5 anos? Você foi em busca de um filme com mais de 40 anos nos últimos tempos? Seu serviço de streaming TEM algum filme com mais de 40 anos?

2

Ok, vamos supor que sim, que você assistiu a alguns filmes mais antigos. Ótimo. Então pense no público médio. Aquele que lota cinemas para ver Vingadores, Transformers, Velozes e Furiosos, Aladdin e Tenet. Você acha que este público iria atrás de um filme que tem 80 anos?

3

Mais uma questão: o público médio da Netflix, produtora do remake, é fã de produções como The Old Guard, Stranger Things, Power e La Casa de Papel. Tente falar para um millennial assistir a um filme que provavelmente é mais velho que seus bisavós. Não existe argumento de “mas é um clássico” que vá lhe convencer.

4

O mundo evoluiu. A audiência mudou. Então por que você acha que um filme feito para o público de 1940 obrigatoriamente deve agradar ao público de 2020? Se mesmo aos fãs de filmes de heróis é difícil “vender” um Superman de 1978 ou até um Batman de 1989, como esperar que o público de 2020 simplesmente “engula” uma obra de 80 anos? Assim como nós, os filmes também envelhecem.

5

Não se trata de um remake DO FILME, mas DO LIVRO, e isso é muito comum no cinema desde sempre. Quantas versões de Orgulho e Preconceito, Romeu e Julieta, Drácula, Sherlock Holmes, Alice no País das Maravilhas já tivemos? Assim como o Ben-Hur de 2016, o novo Rebecca é uma nova adaptação do livro para um novo público.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: